banner

O QUE NÓS APRENDEMOS

  •   •  O piloto da Red Bull, Max Verstappen, estabeleceu o ritmo no segundo treino livre, marcando 1m25s146 no composto P Zero Macio. A Mercedes de George Russell ficou a 0s341 do primeiro lugar, com Charles Leclerc completando a trinca de equipes nas três primeiras posições, com 1m25s599 a bordo da sua Ferrari.
  •   •  As temperaturas da pista diminuíram rapidamente de 38,6°C para 35,7°C durante o segundo treino livre, que ocorreu quando o sol começou a se pôr. Essas condições foram bem diferentes do primeiro treino livre da tarde, em que as temperaturas da pista subiram até 47,5°C.  Espera-se que as condições para a classificação no sábado sejam mais próximas das vistas no segundo treino livre, em vez da primeira sessão.
  •   •  Apesar da reputação de Yas Marina de bandeiras vermelhas nos treinos, não houve interrupções em nenhuma das sessões de treinos livres na sexta-feira. Isso, sem dúvida, beneficiará as equipes e os pilotos que foram capazes de simular stints longos, sem interrupções.
  •   •  Charles Leclerc fez o melhor tempo do dia com o composto P Zero Médio, com um 1m26s045s no segundo treino livre. O melhor tempo de volta com os pneus de composto duro também veio na segunda sessão, cortesia de Yuki Tsunoda (AlphaTauri) com 1m27s368.
  •   •  O primeiro treino proporcionou uma oportunidade preciosa para vários jovens pilotos acumularem quilometragem ao volante de um carro de Fórmula 1. Dito isto, nenhum dos seis pilotos ainda sem largadas na F1 foi capaz de desafiar as estrelas estabelecidas no topo das tabelas de tempos: Lewis Hamilton ditou o ritmo com um 1m26s633 com compostos macios, 0s220 à frente do companheiro de equipe da Mercedes, Russell. Leclerc foi o terceiro mais rápido (antecipando ao melhor tempo conquistado no TL2) com 1m26s888.

SIMONE BERRA: ENGENHEIRO CHEFE

“As sessões de hoje foram caracterizadas pela alta evolução da pista, o que permitiu tempos de volta mais rápidos à medida que a noite caía e as temperaturas da pista diminuíam significativamente. Temos notado mais degradação em todos os compostos do que nos anos anteriores, o que abre novos cenários no que diz respeito à estratégia de corrida. De fato, o GP de Abu Dhabi quase sempre foi marcado por uma estratégia de uma parada; este ano, podemos ver as equipes adotando uma abordagem de duas paradas. O pneu com a maior taxa de desgaste em Yas Marina é o dianteiro direito, devido ao layout anti-horário e às características do circuito. O eixo dianteiro foi o fator mais limitante em termos de degradação; para gerenciar a granulação encontrada hoje nos compostos mais macios, as equipes podem decidir usar uma combinação de compostos C3 (duro) e C4 (médio) no domingo”.

O GRANDE NÚMERO: 2500

Este é o tamanho da Ilha Yas em hectares, tornando-se a maior ilha artificial do mundo. Abriga o circuito Yas Marina, juntamente com parques de diversões e atrações como o Ferrari World. O circuito, projetado por Hermann Tilke e concluído em 2009, é a primeira pista permanente do mundo a ter uma capacidade de 60.000 assentos totalmente cobertos. Os ingressos para a corrida deste ano já estão esgotados.