A Pirelli revelou os compostos que levará para os 23 Grandes Prêmios que formam o calendário de 2021 da Fórmula 1. A maioria das opções é semelhante às previstas para o ano passado ou 2019, embora duas, Azerbaijão e Brasil, sejam um nível mais macio e, também, há dois novos circuitos, Países Baixos e Arábia Saudita, para 2021.

Levando em conta algumas das dificuldades logísticas causadas pela pandemia da Covid-19, que tem o potencial de interromper as viagens e as cadeias de suprimentos, o regulamento esportivo da Fórmula 1 mudou para oferecer a máxima flexibilidade. Agora, as escolhas dos pneus não precisam mais serem feitas com 14 semanas de antecedência para eventos de longa distância e oito semanas para europeus. Como foi o caso no ano passado, haverá uma alocação fixa para cada piloto de dois jogos de pneus duros, três médios e oito macios, em cada corrida.

Isso significa que as escolhas e alocações serão fixas ao longo da temporada, embora a Pirelli e a FIA reservam o direito de alterar a seleção até 15 dias antes de cada corrida, caso as circunstâncias exijam.

Mario Isola, gerente mundial de Motorsport da Pirelli: “Anunciar todas as seleções para o ano agora ajudará as equipes e os pilotos com seu planejamento, também permitindo a máxima flexibilidade apenas no caso de o calendário ter que mudar devido às restrições da Covid-19, como vimos no ano passado. As seleções em si são, no geral, semelhantes às do ano passado, ou 2019, no caso de corridas não disputadas em 2020, o que significa que as equipes devem ter muitos dados para usar como base, mas temos duas corridas onde as indicações são mais macias. A primeira é o Azerbaijão, onde nosso pneu duro C2 não foi usado da última vez, então agora estamos indo com a seleção mais macia de todas: C3, C4 e C5. Depois temos o Brasil, onde vamos levar o C2, C3 e C4 este ano, pois o C1, que foi selecionado como a escolha mais dura da última vez, não mostrou uma vantagem particularmente grande em termos de desgaste em relação ao médio. Em ambos os casos, a nomeação mais macia pode levar a uma maior variedade de estratégias de corrida”.