Suzuka é um dos circuitos mais populares do calendário graças as suas curvas bem conhecidas, algumas delas bastante extremas, que proporcionam grandes emoções para pilotos e fãs. Para lidar com essas altas cargas, a Pirelli nomeou a combinação mais dura de pneus de sua gama: C1 como o composto duro, branco, C2 como o médio, amarelo, e C3 como o macio, vermelho.

CARACTERÍSTICAS DA PISTA

  •  · Os compostos indicados este ano são um pouco mais duros do que os pneus médios, macios e super macios que foram escolhidos no ano passado. Isso deve permitir que os pilotos trabalhem ao máximo durante cada parte da corrida, em vez de ficar recorrendo ao gerenciamento de ritmo para fazer com que a estratégia de uma parada funcione.
  •  · As demandas laterais são a característica definidora de Suzuka (em vez de forças longitudinais), graças a curvas longas e rápidas como a 130R e a Spoon. Para esta corrida, manter um ritmo forte e a velocidade de contorno são importantes. As demandas de freio, por exemplo, são relativamente baixas aqui.
  •  · O asfalto de Suzuka está entre os mais ásperos e abrasivos do ano, o que aumenta o desgaste e a degradação dos pneus.
  •  · No ano passado, a corrida foi vencida pelo piloto da Mercedes, Lewis Hamilton, com estratégia de uma parada, passando de macio para médio. A mesma estratégia adotada por sua equipe fez Valtteri Bottas terminar em segundo, enquanto Max Verstappen, da Red Bull, terceiro colocado, optou por começar com o super macio e terminar com o macio.
  •  · Suzuka é conhecida por seu clima variável, com tufões possíveis nesta época do ano. A chuva durante a noite costuma ter o efeito de “redefinir” a pista, lavando toda a borracha depositada. No ano passado, por exemplo, foi observada uma grande evolução na pista.
  •  · Por coincidência, Suzuka é extremamente semelhante a Sochi em termos de duração e tempo geral da volta, mas a natureza e o caráter das duas corridas são muito diferentes.

MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“O GP do Japão é sempre uma das corridas mais emocionantes e imprevisíveis do ano, com Suzuka sendo uma pista antiga que recompensa a bravura e o comprometimento. Devido às consideráveis ​​forças que as curvas colocam nos pneus, selecionamos a combinação mais dura possível em nossa gama, o que deve ajudar os pilotos a chegarem ao máximo, mesmo com uma estratégia de parada única. É isso que as equipes quase sempre buscam e que a maioria dos pilotos escolheu para Suzuka no ano passado. Em 2017, também vimos um novo recorde durante a classificação e com a ênfase nas velocidades de curva na atual geração de carros, será interessante ver se esse recorde será quebrado neste fim de semana. Suzuka também é bem conhecida por seu clima variável, por isso não seria surpreendente ver os pneus de chuva aparecerem neste famoso e exigente circuito.”

OUTRAS NOTÍCIAS DA PIRELLI

  •  · A Pirelli está concluindo o teste final de validação para os pneus slicks de 2020 da Fórmula 1 hoje e amanhã em Barcelona. Três equipes estão participando: Esteban Ocon pilota para a Mercedes, Sebastian Vettel para a Ferrari e Alex Albon está ao volante da Red Bull.
  •  · A Pirelli venceu a classe WRC2 no Wales Rally GB com o campeão do mundo de 2003, Petter Solberg, que se reuniu com o copiloto de longa data Phil Mills para seu rali final em um Volkswagen Polo R5. Um novo campeão do WRC Junior também foi coroado com pneus Pirelli no País de Gales: Jan Solans, da Espanha, com seu copiloto Mauro Barreiro.
  •  · A última visita da Pirelli a Suzuka foi há pouco mais de um mês, nas 10 Horas de Suzuka, no final de agosto, vencida pela Audi. Mika Hakkinen, vencedor na F1 em Suzuka com a McLaren em 1998 e 1999, também participou da corrida, compartilhando um McLaren GT3 com dois pilotos japoneses. Eles terminaram na 22ª posição ao final da corrida.

OS PNEUS ESCOLHIDOS PARA ESTA TEMPORADA