Mais de 1 segundo de diferença entre os compostos duro e médio

As sessões de treinos livres de hoje, em Barcelona, destacaram o baixo desgaste e a pouca degradação dos compostos Pirelli Formula One de 2015. Foi a confirmação da tendência apontada, no mesmo circuito, nos treinos pré-temporada, no início do ano.

As melhorias aplicadas à estrutura dos pneus traseiros de 2015 ajudaram a distribuir o calor e as forças aplicadas de maneira mais uniforme, o que resulta em menor desgaste e, consequentemente, menor degradação. E isso, mesmo considerando que a nova geração de carros híbridos e turboalimentados da Fórmula 1 possui, ainda, mais torque e está mais rápida do que no ano passado.

Por tudo isso, o pneu dianteiro esquerdo passou, mais uma vez, a ser o fator limitante nos treinos livres. É importante dizer que a temperatura da pista superou os 50ºC e a expectativa é que continue assim ao longo de todo o fim de semana. Em 2014, o superabrasivo circuito de Montmeló ainda era limitado pelo desempenho dos pneus traseiros. Mas graças às modificações desenvolvidas pela Pirelli, isso foi revertido durantes os testes pré-temporada, realizados em fevereiro.

Os dois pneus mais duros da gama, o P Zero Laranja duro e o P Zero Branco médio foram os escolhidos para o GP da Espanha. No primeiro Treino Livre realizado na manhã desta sexta-feira, as equipes usaram apenas o composto duro, conforme manda o regulamento.

O pneu médio foi usado apenas à tarde, no segundo Treino Livre, e resultou em voltas 1 segundo mais rápidas, de acordo com o acerto do carro de cada equipe. As equipes usaram a segunda sessão de treinos, que teve temperaturas na casa dos 30ºC, para avaliar a performance dos pneus com diferentes cargas de combustível no tanque. Essa temperatura deve ser a mesma entre hoje e domingo. Em Barcelona, tradicionalmente a pista muda muito pouco ao longo do fim de semana de corrida.

A simulação de treino classificatório também foi importante. Afinal, em 11 dos últimos 13 GPs realizados em Barcelona, as corridas foram vencidas pelo pole-position. Por isso, este é o circuito que tem a maior taxa de conversão de poles em vitórias – até porque é um dos com mais baixas incidências de safety cars durante a prova.

A Mercedes dominou as duas sessões, com Nico Rosberg sendo o mais rápido no primeiro treino, com pneus duros, e Lewis Hamilton o melhor do segundo, com compostos médios.

Paul Hembery, diretor de motorsports da Pirelli: “As condições que nós tivemos hoje foram bem diferentes daquelas que vimos nos treinos pré-temporada, em fevereiro. Neste treino, as temperaturas, tanto do ambiente quanto da pista, foram muito mais altas. Ainda assim, as nossas expectativas foram confirmadas. O trabalho que desenvolvemos nas estruturas dos pneus traseiros está sendo pago com dividendos. Temos muito menos desgaste e degradação em relação ao que víamos no ano passado, mesmo considerando que agora os carros estão ainda melhores e mais rápidos. Consequentemente, estamos prevendo uma corrida com duas paradas de pit-stops para a maioria dos pilotos. As equipes conhecem este circuito muito bem, então a disputa será bastante apertada. Assim, é óbvio que qualquer vantagem conseguida na escolha dos pneus pode significar um ganho considerável na briga pela vitória. ”


Treino Livre 1
Treino Livre 2
1. Rosberg 1min26s828 Duro novo 1. Hamilton 1min26s852 Médio novo
2. Hamilton 1min26s898 Duro novo 2. Vettel 1min27s260 Médio novo
3. Vettel 1min27s806 Duro novo 3. Rosberg 1min27s616 Médio novo


Estatísticas dos pneus de hoje:
Duro Médio Intermediário Chuva
Kms percorridos * 2973 1615 0 0
Jogos usados no total ** 59 20 0 0
Maior número de voltas ** 22 25 0 0


* Os números acima referem-se ao total de quilômetros percorridos nos treinos livres 1 e 2, somados todos os pilotos.

** Por composto, todos os pilotos combinados.

Pirelli fatos do dia:

Oito diferentes pilotos venceram o GP da Espanha, nos últimos anos. O que significa que esta prova é muito mais competitiva do que a maioria das pessoas imagina. Os únicos pilotos que venceram esta corrida mais de uma vez foram Fernando Alonso (2006, 2013) e Kimi Raikkonen (2005, 2008). Lewis Hamilton, que foi o mais rápido do dia nesta sexta-feira, subiu no pódio por 11 corridas seguidas – um recorde de sua carreira.