O Pirelli P Zero Laranja da gama de pneus de Fórmula 1 deste ano vai mudar a partir do Grande Prêmio do Canadá, usando uma construção revisada.

A mudança acontece após o GP da Espanha, que teve quatro pit stops por piloto. A nova linha vai combinar elementos dos pneus de 2012 e 2013 para ter tanto durabilidade, quanto desempenho.

“Nosso objetivo é proporcionar às equipes com uma gama, que une a estabilidade dos pneus de 2012 e do desempenho dos atuais. Como empresa, nós sempre agimos rápido para fazer melhorias, quando elas são necessárias. Depois de avaliar os dados das primeiras corridas deste ano, decidimos apresentar uma evolução, uma vez que ficou claro no GP da Espanha, que o número de pit stops foi muito alto. A corrida em Barcelona foi vencida com uma estratégia de quatro pit stops, o que só aconteceu uma vez antes em nossa história. Essas mudanças também significam que os pneus terão menor degradação, reduzindo o número de pit stops“, explica Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

“Com o período de testes limitado, somente agora está claro que a nossa gama original de pneus 2013 era, provavelmente, muito focada em performance frente as regras atuais. No entanto, tendo identificado este problema, estamos determinados a resolvê-lo rapidamente. É preciso salientar que o regulamento atual para treinos de inverno limita a oportunidade de testar os pneus de acordo com as mesmas condições das corridas, devido à temperatura mais baixa. As equipes tem a mesma opinião que a nossa, e querem testes mais longos e em locais diferentes. Nós desenvolvemos os pneus de 2013 com base em simulações cuidadosas que, no entanto, foram insuficientes, tendo em conta o aumento da velocidade dos carros (até 3 segundos por volta)”, continua Hembery.

“Nós também demos este passo para evitar as delaminações que são causadas por detritos pista. É importante ressaltar que quando este fenômeno ocorre apenas na banda de rodagem, que se solta, não comprometendo a segurança dos pneus, bem como a sua estrutura central, que não é afetada de forma alguma, ajudando os pilotos a completar a volta e trocar o pneu danificado de forma segura. Estas delaminações aconteceram devido aos detritos, que superaquecem a banda de rodagem. Gostaríamos de agradecer a todas as equipes por seu apoio contínuo e extremamente valioso no nosso trabalho para identificar o equilíbrio entre a alta velocidade – que faz de nós líderes mundiais no segmento Ultra High Performance – e um espetáculo global que seja de fácil compreensão para os fãs da Fórmula 1″, conclui o diretor de automobilismo da Pirelli