O composto duro P Zero Laranja e o médio P Zero Branco foram indicados para o Grande Prêmio da Espanha, mas haverá algumas mudanças nos pneus no famoso Circuito da Catalunha. O P Zero Laranja evoluiu, com o objetivo de abrir ainda mais possibilidades de estratégias. Os outros compostos permanecem inalterados.

Haverá também um conjunto extra de pneus duros protótipos alocados para os treinos livres, para incentivar todas as equipes a permanecer na pista durante toda a duração das sessões, ao invés de optar por conservar os pneus para o resto do fim de semana. Estes pneus serão diferentes dos P Zero Laranja duros que serão utilizados no resto do fim de semana. São um composto especialmente criado com ênfase na durabilidade, para que as equipes possam correr por tanto tempo quanto for possível. Para distinguir estes pneus, eles não vão receber qualquer marcação de cor.

“Estamos estreando uma versão revisada do nosso pneu duro na Espanha, que está mais próxima das características do composto de 2012. Este novo pneu nos dá uma janela de temperatura de trabalho maior – embora ofereça um pouco menos em termos de desempenho puro, em combinação com os outros compostos, deve permitir que as equipes experimentem uma variedade ainda maior de estratégias de corrida. Tomamos esta decisão após analisar os dados das quatro primeiras corridas, com o objetivo de melhorar ainda mais o espetáculo da Fórmula. Na verdade, isso é quase uma tradição, pois no GP da Espanha de 2011 (nosso primeiro ano de retorno à F1), também introduzimos uma versão revista do pneu duro”, explica Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

“Esperamos que o pneu médio esteja significativamente mais rápido e por isso é ele que as equipes tendem a utilizar no treino classificatório, enquanto o duro deverá ser o pneu preferido na corrida. Conforme permitido pelo regulamento em vigor, vamos fornecer um conjunto extra de pneus protótipo de compostos duros nos treinos livres”, informa Hembery.

O circuito de um ponto de vista dos pneus:

- Barcelona é uma pista rápida, fluida e técnica, que exige muito dos pneus, também devido às altas temperaturas e superfície razoavelmente abrasiva. Acima de tudo, porém, são as cargas de energia laterais altas que ditam exatamente como os pneus se degradam.

- A estratégia preferida deverá ser a de três pit stops, como foi no ano passado.

- A pista de 4.655 quilômetros de extensão contém 16 curvas, a maioria à direita, colocando a ênfase sobre os pneus do lado esquerdo, em particular, que farão a maior parte do esforço.

- No ano passado, os pneus duros e macios foram os selecionados, mas os compostos deste ano são mais macios, assim o médio de 2013 é equivalente ao suave de 2012.

- Os cinco primeiros colocados no GP da Espanha do ano passado optaram por estratégia de três paradas e todos largaram com o pneu macio.

- O melhor colocado entre os que escolheram parar apenas duas vezes, chegou em oitavo, porém, tendo largado em último.

- Nove das dez últimas corridas na Catalunha foram ganhas pelo pole position. No ano passado não foi exceção. Então, o treino classificatório será crucial – o que significa fazer um bom uso do jogo extra de pneus nos treinos livres, para encontrar um ótimo set-up.

Os pneus definidos pela Pirelli até agora:

  PZero Vermelho PZero Amarelo PZero Branco PZero Laranja
Austrália Supermacio   Médio  
Malásia     Médio Duro
China   Macio Médio  
Bahrein     Médio Duro
Espanha     Médio Duro