Os pneus P Zero Yellow e P Zero Red supermacios da Pirelli foram para a pista na Coreia pela primeira vez nesta temporada, durante as duas sessões de treinos livres no circuito de Yeongam, de 5,615 km.

As temperaturas ambiente e da pista foram maiores do que no ano passado, com temperatura ambiente de 21 graus centígrados e temperatura da pista aproximando-se de 31 graus centígrados.

Com a pista apresentando uma grande variedade de características – uma parte rápida e aberta no início da volta, seguida por uma seção estreita e técnica ao final, que é reminiscente de um circuito de rua – as equipes, como habitual, se concentraram em ganhar tantos dados quanto possível para liderar em qualificação e na corrida.

Os planos de corrida em treino livre seguiram seu padrão normal: na primeira sessão, as equipes se concentraram somente no composto mais duro, normalmente utilizando apenas um conjunto de pneus macios para adaptar seus carros às características exclusivas do circuito de Yeongam. Na parte da tarde, sob condições que serão típicas de qualificação e da corrida, eles também avaliaram o pneu supermacio vermelho. A prioridade foi reunir informações sobre tanques de combustível cheios e vazios, a fim de estabelecer as taxas de desgaste e pontos de cruzamento: parâmetros vitais para a estratégia de corrida.

Na parte da manhã Lewis Hamilton, piloto da McLaren, foi o mais rápido na P Zero Yellow, com um tempo de 1m39.148s, eclipsando confortavelmente os tempos mais rápidos da FP1, estabelecidos em ambas as ocasiões anteriores que o Grande Prêmio da Coreia foi realizado, em 2010 e 2011 (embora, no ano passado, treinos livres tenham sido afetados pela chuva). Fernando Alonso, líder do campeonato da Ferrari, foi o mais rápido durante boa parte da primeira sessão, com Hamilton definindo o seu melhor tempo bem no final.

A tendência continuou durante a tarde, com o melhor tempo de 1m38.832s da Red Bull de Sebastien Vettel com o pneu supermacio, sendo também mais rápido do que no ano passado (quando a pista da FP2 estava molhada). Jean-Eric Vergne, piloto da Toro Rosso, foi o primeiro a alternar para o supermacio depois de meia hora da segunda sessão, com os pilotos também analisando como a borracha reagia às corridas rápidas de múltiplas voltas: acelerando com força em uma volta e depois diminuindo na outra volta para ver se posteriormente poderiam replicar o ritmo com pneus usados. Nos últimos 40 minutos da sessão de uma hora e meia, a maioria dos primeiros pilotos utilizou o P Zero Red supermacio, com Vettel definindo o seu melhor tempo após uma hora de FP2 decorrida, à frente de seu companheiro de equipe, Mark Webber.

Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli, comentou: “Com o composto macio, mais macio do que o do ano passado e temperaturas, no geral, mais elevadas dessa vez na Coreia, nossos pneus enfrentaram um grande desafio – especialmente o supermacio, que está sujeito às maiores cargas de energia enfrentadas em toda a temporada. As equipes trabalharam de acordo com a programação, exatamente como esperávamos, usando o composto mais duro pela manhã e o composto mais macio na parte da tarde. Em contraste com o ano passado, estamos esperando tempo seco durante todo o final de semana e, provavelmente, o Grande Prêmio mais quente da Coreia em sua curta história até a data atual, de modo que os dados coletados hoje serão de crucial relevância para a qualificação e a corrida. Devemos visualizar uma corrida de dois pit stops e, ao passo que ainda temos de analisar os dados para ter uma ideia sólida da diferença de desempenho entre os compostos, esperamos que seja na casa de meio segundo. É provável que o composto proporcione muitas oportunidades de estratégia, que tem sido um verdadeiro assunto para se comentar este ano”.

Números do dia da Pirelli:

Conjuntos gerais utilizados:

Macio: 48
Supermacio: 24
Intermediário: 0
Molhado: 0

Número total de voltas por composto:

Macio: 839
Supermacio: 317
Intermediário: 0
Molhado: 0

Corridas mais longas por composto:

Macio: 13 (Vergne)
Supermacio: 13 (Rosberg, Webber)
Intermediário: 0
Molhado: 0

Fato do dia da Pirelli:

A reta principal entre as curvas dois e três da pista de Yeongam é a mais longa da Ásia, de 1,2 quilômetros. Entrar de forma acelerada na curva significa que os carros, muitas vezes, lutam para aquecer os pneus, vindos diretamente dos boxes; os pilotos têm que analisar a aderência na curva três com muito cuidado: especialmente no início do fim de semana, quando o circuito está “verde” e escorregadio. Isso pode levar a granulação, quando um carro desliza e desgasta os pneus de forma irregular se o piloto não administrar cuidadosamente a situação. A velocidade máxima nesta reta está na casa de 320 kph, contribuindo para maiores cargas de energia que os pneus supermacios podem experimentar durante todo o ano.