Estratégia de pneus é vital no GP deste final de semana e diferença de tempo entre os compostos pode chegar a 1,2 segundo

Foram realizados nesta sexta-feira, em Suzuka, os primeiros treinos livres para o GP do Japão de Fórmula 1 e, com base nas informações coletadas, a expectativa da Pirelli é que sejam realizadas duas paradas no decorrer da prova deste domingo. A janela entre os dois compostos indicados pela Pirelli – PZero Prata (duro) e PZero Amarelo (macio) – deve ser de 1,0 a 1,2 segundo.

Campeão do GP do Japão de Fórmula 1 em 2011, o piloto Jenson Button, da McLaren, registrou nesta sexta-feira a melhor volta na primeira sessão de treinos livres no circuito de Suzuka: 1m34.507s, dois décimos de segundo mais rápido que seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton. Button cravou o tempo quando faltava meia hora para o encerramento da sessão, superando Mark Webber, da Red Bull, que havia sido o mais rápido até então. Todos os pilotos optaram por utilizar pneus PZero Prata (duro) no período da manhã. Como de costume, os pilotos testaram o PZero Amarelo (macio) no período da tarde, quando a temperatura estava próxima a 40ºC.

Vilaty Petrov, da Caterham, foi o primeiro piloto a testar o composto macio passada 1,5 hora da segunda sessão. Na sequência, Button foi o mais veloz em sua primeira volta com o PZero Amarelo, mas a volta mais rápida da seção e também do dia foi estabelecido por Webber, que fez 1m32.493s com pneus macios após uma hora de treino.

Para Paul Hembery, diretor de motorsports da Pirelli, as equipes tiveram que assimilar muitas informações durante os treinos livres realizados nesta sexta e é provável que a maioria das equipes de ponta utilize e o composto macio no treino de classificação. “Hoje foi o dia de as equipes entenderem o comportamento dos pneus e coletarem informações relativas à velocidade do composto quando utilizado por mais de uma corrida – e é por isso que vimos tantos ciclos e programas diferentes. Foi possível avaliar também a degradação dos pneus com diferentes cargas de combustível, informação vital para a corrida”, comenta. O executivo lembra que em 2011 a estratégia de pneus foi crucial em Suzuka e os três primeiros colocados fizeram três paradas nos boxes, das quais três pernas com compostos macios e a final com o composto mais duro.