Pela primeira vez neste ano, os pilotos da Fórmula 1 foram para a pista à noite, nas duas primeiras sessões de treinos livres para o Grande Prêmio de Cingapura. A corrida é uma das difíceis do ano, por todas as suas singularidades, por isso, a tarefa de coleta de dados com diferentes cargas de combustível era mais importante do que nunca, tanto com o pneu PZero Amarelo (macio) quanto com o PZero Vermelho (supermacio).

Os carros vão começar a corrida com a maior carga de combustível do ano – até 160 quilos – e correr por quase duas horas, o que significa que o seu equilíbrio vai se alterar drasticamente ao longo da prova. Isso terá um grande efeito sobre a forma como cada carro usará os pneus. Por isso, nos treinos de hoje, todos tentaram usar pelo maior tempo possível os dois compostos mais macios (e rápidos) da Pirelli. No final da segunda sessão de treinos livres, a maioria das equipes de ponta se concentrou em testar o pneu supermacio com grande carga de combustível. Esta é a configuração com a qual eles estão mais propensos a iniciar a corrida.

Diferentemente da maioria dos circuitos, as temperaturas ambiente e da pista permaneceram as mesmas: por volta de 28 graus durante a segunda sessão, na qual o piloto da Red Bull Sebastian Vettel fez o melhor tempo até agora, com 1min48s340. Com pneus supermacios. Vettel foi mais de três décimos de segundo mais veloz do que o segundo colocado na sessão, Jenson Button, da McLaren.

A temperatura ambiente elevada e a umidade constante em Cingapura levam a um grau significativo de degradação térmica, por isso, a arte de administrar os pneus consiste em aquecê-los rapidamente e, em seguida, mantê-los dentro da janela de funcionamento correta, sem sobreaquecer a borracha, particularmente nas muitas zonas de tração e frenagem.

“Como sempre, Cingapura tem um início espetacular, com a complexidade desta corrida sendo acentuada pela chuva no início da primeira sessão de treinos livres. No entanto, vimos uma abundância de dados sendo acumulados sobre uma grande variedade de cargas de combustível. Então, pelo que pudemos ver até agora, podemos esperar entre dois e três pit stops durante a corrida, mas vai depender muito das entradas do safety car, o que tem ocorrido tradicionalmente em Cingapura”, comentou Paul Hembery, o diretor de automobilismo da Pirelli.

“A diferença de tempo entre os compostos macio e supermacio é de cerca de 1,5 segundo por volta, enquanto a degradação por volta é de cerca de 0,3 segundo para o supermacio e 0,1 segundo para o macio. Isso abre muitas possibilidades diferentes em termos de estratégia”, analisou Hembery.

Pirelli números do dia:

 Conjuntos utilizados geral:

 Macio: 50

 Supermacio: 24

 Intermediário: 22

Chuva: 7

 Maior número de voltas por composto:

 Macio: 24

 Supermacio: 19

 Intermediário: 9

 Chuva: 2

 Tiros mais longos por composto:

 Macio: 14 (Rosberg)

 Supermacio: 14 (Di Resta, Hamilton, Hulkenberg)

 Intermediário: 8 (Vettel)

 Chuva: 0