race

Pirelli iça velas
na America’s Cup

Na próxima edição da America’s Cup, o Luna Rossa será apoiado pela Pirelli

Home race Pirelli iça velas
na America’s Cup
Pirelli iça velas
na America’s Cup

Os entusiastas da vela ao redor do mundo já estão ansiosos pela próxima America’s Cup, que será realizada na Nova Zelândia. E ainda que ainda faltem três anos para a 36ª edição, o mais antigo troféu esportivo da história já é um grande assunto de discussão. Em 2021 o Luna Rossa, o barco italiano que inflamou a imaginação dos fãs por quatro edições consecutivas, receberá também o apoio da Pirelli. Junto com seu patrocinador de longa data, a Prada, ela contribuirá com sua experiência mundial de meio século com os mais altos níveis de tecnologia esportiva.

«A America's Cup incorpora valores e apelos para um público de entusiastas que combinam perfeitamente com os da Pirelli, permitindo à companhia continuar cultivando a marca e fortalecendo seu posicionamento de alta tecnologia entre os clientes em todo o mundo», comenta Marco Tronchetti Provera, Vice-Presidente Executivo e CEO da empresa. «Escolhemos fazer parte deste projeto porque é um desafio esportivo e tecnológico que pode projetar a Itália e a marca Pirelli mundialmente».

E em 2021 a tecnologia em si será um fator-chave nesta competição, particularmente para o Luna Rossa, que ganhou o status de Desafiante – em outras palavras o primeiro desafiante aos atuais campeões: o Emirates Team New Zealand. Esta 36ª edição marca um ponto de partida em relação aos dois eventos anteriores e vai exigir um esforço especial em termos de planejamento e projeto dos barcos.

Pirelli iça velas na America’s Cup 01

Photo Credit by Carlo Borlenghi

«Após os troféus de 2013 e 2017 há uma importante novidade: um retorno aos barcos monocasco», explica Max Sirena, capitão e chefe de equipe do Luna Rossa. Comparado aos catamarãs vistos na última edição «pode parecer um passo atrás, mas será um monocasco radicalmente diferente do tipo tradicional mantendo o mesmo desempenho dos mais recentes multicascos». Da mesma maneira, continua Sirena, «não usaremos mais uma vela rígida, que gerava diversos problemas logísticos. Teremos uma vela grande feita de tecido altamente especializado que pode ser içada, ao contrário da anterior».

Desse modo muitas pessoas vão se perguntar se em 2021 veremos os barcos voando ao invés de deslizar pela água. Não se preocupe, a resposta é sim. Sem o multicasco e a vela rígida serão os foils (as aletas que permitem aos barcos se erguer e planar sobre a água) que terão o papel fundamental de alcançar a vitória. «Sistemas de controle do foil e da quilha são atualmente objeto de muita pesquisa, com o envolvimento de especialistas não apenas em projetos navais, mas também em aeronáutica e tecnologia espacial», acrescenta Sirena.

Pirelli iça velas na America’s Cup 02

Photo Credit by Carlo Borlenghi

«A America’s Cup tem muitas semelhanças com a Fórmula 1. Assim como a equipe, os técnicos desempenham um papel fundamental. Neste nível supõe-se que os marinheiros são os mais experientes do mundo e a diferença está na engenharia e no desempenho do barco: fundamentalmente sempre foi a embarcação mais rápida que venceu» Não é nenhuma coincidência que os próprios tripulantes também devem ser bons “pilotos de teste”: eles devem dar feedback aos engenheiros para ajudá-los a alcançar a velocidade máxima. Mas o preparo físico é também cada vez mais importante, devido à performance atingida por esses barcos que apenas alguns anos atrás seria inacreditável. «Cursos para prender a respiração e treinos sob estresse são necessários. Mudamos até as roupas: saem as camisetas e shorts e entram os kits de proteção». 

E que tal a equipe escolhida pelo Luna Rossa for 2021? Bem, para começar, «é 99% italiana», diz Max Sirena. «O único estrangeiro é James Spithill, o veterano da America’s Cup que, como um bom marinheiro, está aprendendo italiano para poder se comunicar com a equipe adequadamente». Uma marca fortemente italiana, por tanto, mas escolhida não por orgulho nacional ou desejo de excluir outros. «Nosso objetivo, como no caso do Ferrari Corse, é desenvolver nossos jovens e criar expertise que fique em casa e possa assentar as fundações para um futuro sucesso neste esporte: é por isso que queremos traçar um rumo firmemente enraizado na Itália», argumenta Sirena. 

Pirelli iça velas na America’s Cup 03

Photo Credit by Carlo Borlenghi

Outra questão que não deve ser ignorada é que o desafio é 100% italiano também em termos de patrocinadores. «Poder levar a Pirelli a bordo como parceira, junto com a Prada, é de importância fundamental: nos dá uma grande força não apenas financeira e tecnológica, mas também em termos de imagem. Considerando seu comprometimento com a competição, ela certamente nos dará também uma grande ajuda no desenvolvimento», diz Sirena. Em quais contextos? «Não me faça muitas perguntas… isso equivaleria a passar dicas aos nossos adversários, e este ano o Luna Rossa vai para a vitória!». 

Boa sorte, Luna Rossa.

Saiba mais
Relacionadas
Informação do produto
O melhor da tecnologia de ponta da Pirelli
Descubra o novo P Zero
Encontre
Selecione o produto sob medida para você
Encontre o melhor pneu para seu carro
race