O composto mais duro da gama de pneus 2013 da Pirelli estreia na Malásia, com uma cor totalmente nova. O pneu duro P Zero Laranja foi designado para Sepang juntamente com o médio P Zero Branco, já visto na Austrália.

Os dois compostos mais duros na gama da Pirelli são ideais para as temperaturas extremas e a superfície abrasiva da Malásia. Sepang também é bem conhecido pelas suas chuvas torrenciais de monção, o que torna bastante provável que os pneus intermediários Cinturato Verde e de chuva forte Cinturato Azul serão vistos em algum momento ao longo do fim de semana.

“Eu poderia descrever Sepang como genuinamente extremo: tanto em termos de clima quanto de superfície da pista. Isto significa que será um dos fins de semana mais exigentes para os pneus em todo o ano. Pela primeira vez veremos o novo composto duro Laranja na competição, cuja cor foi escolhida para torná-lo mais fácil de distinguir do médio Branco na televisão. A designação de pneus para a Malásia é a mesma do ano passado, mas os compostos agora oferecem mais desempenho e a degradação programada aumentou nesta temporada”, diz Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

“No ano passado, a estratégia vencedora foi a de três paradas, numa corrida mista, que teve pista molhada e seca, com final emocionante entre Fernando Alonso e Sergio Perez, numa disputa focada nos pneus. Podemos esperar três paradas novamente, mas mais uma vez, é provável que o clima dite as regras. Mesmo que não chova, os pilotos podem esperar umidade de 80% na região e temperatura ambiente de mais de 30 graus centígrados”, completou Hembery.

O pneu do ponto de vista do circuito:

- A Malásia apresenta uma das superfícies mais abrasivas na qual os carros vão competir em todo o ano, o que é parte da razão do porquê os dois compostos mais duros da gama foram nomeados.

- O pneu duro P Zero Laranja tem uma janela de trabalho maior do que a o médio P Zero Branco. Isto faz com que formem uma combinação ideal, capaz de lidar bem com qualquer eventualidade. As características de durabilidade do novo pneu rígido são próximas aos do pneu médio do ano passado, resultando em tempos de volta que são em torno de 0,4s a 0,5s mais rápidos do que a especificação dura de 2012. 

- A pista de Sepang é construída sobre o que era antigamente um pântano, com uma superfície essencialmente desigual. No entanto, o asfalto foi refeito em 2007, o que suavizou a maioria das ondulações – embora algumas permaneçam.

- No ano passado, os compostos duro e médio também foram escolhidos para o GP da Malásia. Os cinco melhores pilotos adotaram uma estratégia de três paradas: intermediário-chuva-intermediário-slick. Bruno Senna por sua vez, em quinto lugar, parou quatro vezes.

Notas técnicas dos pneus:

- A pista da Malásia coloca pesadas demandas laterais sobre os pneus, é a segunda maior carga lateral do ano, depois de Barcelona. Isso pode levar à acumulação de calor no interior do pneu, o qual pode atingir um máximo de 130 graus centígrados.

- Os treinos no Grande Prêmio da Malásia, no passado, foram frequentemente interrompidos pela chuva forte, e a corrida foi suspensa no início de 2009, com apenas metade dos pontos sendo distribuídos. Este ano a Pirelli tem uma nova especificação do composto intermediário Cinturato Verde e do pneu para chuva forte Cinturato Azul, com uma nova construção projetada para melhorar a tração e prevenir patinagens.

- Embora os níveis de aderência sejam altos na Malásia, a chuva frequente tem o efeito de lavar o emborrachamento da pista durante a noite, o que significa que muitas vezes há uma superfície “verde” no início de cada sessão. Embora uma trilha seca possa emergir rapidamente por causa das altas temperaturas ambientes, a drenagem de Sepang não é particularmente boa, o que pode levar à acumulação de água em poças.

Os pneus definidos pela Pirelli em 2013: