Baku é o mais longo e também o circuito de rua mais rápido no calendário da Fórmula 1, graças a longas retas que formam a maior parte da pista de 6.003 metros de extensão. Isso significa que esta é a segunda maior da temporada, atrás, apenas, de Spa-Francorchamps, na Bélgica. No entanto, enquanto as velocidades são elevadas, a pista é estreita, combinação que causou alguns incidentes no passado. Assim como foi o caso na última rodada da categoria na China, a Pirelli leva para a pista os pneus C2, como duro, C3, como o médio e o C4, como o macio. Definição bem do meio da gama disponível para a temporada 2019 da Fórmula 1.

CARACTERÍSTICAS DA PISTA

Circuit

  • •  Baku é conhecida como a ‘cidade dos ventos”– que possui um efeito grande sobre a aerodinâmica dos carros. No passado, houve altas temperaturas na pista, mas clima frio também. É uma corrida difícil de prever.
  • •  As longas retas têm o efeito de esfriar os pneus dianteiros em particular – um pouco como a China – o que pode aumentar o risco de bloqueio da frente.
  • •  No ano passado a corrida foi vencida com uma estratégia de duas paradas, mas isso foi influenciado por duas entradas do carro de segurança. A ativação do veículo, na verdade, aconteceu nas últimas duas das três provas realizadas no Azerbaijão até hoje. Isso significa que as estratégias precisam ser flexíveis.
  • •  Como é sempre o caso em um circuito de rua, a superfície tende a ser ‘verde’ e escorregadia no início das atividades, com a aderência sendo afetada por detalhes da pista como as linhas brancas e outras alterações da superfície. A degradação é geralmente baixa nesta pista lisa.
  • •  Outro fator que afeta os níveis de aderência é o fato de que existem pontos de luz e sombras ao longo do circuito, que está no centro da cidade e rodeado por edifícios altos. Isto significa que a temperatura do asfalto pode variar entre diferentes partes do circuito. A corrida começa às 16:10, horário local, assim as temperaturas podem cair muito rapidamente.


MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“O principal desafio em Baku situa-se no balanceamento dos eixos dianteiro e traseiro, mantendo todos os pneus na janela de operação correta. É uma pista variada, com uma reta de dois quilômetros bastante longa e com curvas muito técnicas. A frequência da entrada do carro de segurança também provoca uma certa dor de cabeça, ou talvez uma oportunidade, para os estrategistas. Os pneus do meio da gama que escolhemos deverão ser bem adequados as demandas de Baku, mas é sempre uma das mais difíceis corridas do ano para termos uma previsão. Este é frequentemente o caso de um circuito de rua, mas Baku é o circuito de rua mais diferente do calendário, com altas velocidades de uma pista tradicional e com uma volta muito longa”.

OUTRAS NOTÍCIAS DE PIRELLI

  • •  As três principais equipes fizeram diferentes escolhas de pneus. A Red Bull tem mais jogos de pneus macios do trio, seguida pela Mercedes, enquanto a Ferrari selecionou o menor número deste composto em comparação com qualquer time.
  • •  O campeonato GT da Blancpain continuou no último fim de semana em Monza, na Itália, na casa da Pirelli, com vitória da Porsche pela primeira vez após quase sete anos em uma corrida debaixo de chuva. A Porsche também apareceu no programa F1 Pirelli Hot Laps durante o Grande Prêmio da China pela primeira vez.


pressure

PNEUS SELECIONADOS ATÉ O MOMENTO

table