CARROS JÁ ESTÃO MAIS RÁPIDOS DO QUE OS DO ANO PASSADO

DIFERENÇA DE QUASE UM SEGUNDO ENTRE OS COMPOSTOS MÉDIO E MACIO

O QUE APRENDEMOS COM OS TREINOS LIVRES 1 E 2

•  Os carros são mais rápidos do que os usados no ano passado: o melhor tempo registrado pelo piloto da Mercedes, Lewis Hamilton, no segundo treino livre, foi mais de 1s3 mais veloz do que o equivalente de 2018, mesmo com os carros sendo mais pesados. Existe uma ótima chance de que o recorde da pista seja batido no classificatório.
•  A diferença de tempo entre os carros do meio do pelotão é muito pequena, mas, até o momento, existe uma distância clara para os ponteiros.
•  Um grande nível de evolução da pista ocorreu durante as duas sessões de treinos livres, como sempre acontece em Albert Park.
•  Os pneus se comportaram como esperado com as equipes testando os três compostos disponíveis nas condições amenas do clima (24 graus de ambiente e 42 graus na pista).
•  O desempenho do pneu é satisfatório: não tivemos problemas com bolhas ou esfarelamento, que ocorreu durante os treinos em Barcelona, mas não se repetiu no clima mais quente agora, como era esperado.
•  A diferença de desempenho entre os compostos médio e macio é atualmente de nove décimos de segundo por volta (um pouco mais do que o esperado) enquanto entre o médio e o duro é de seis décimos de segundo.

MARIO ISOLA – GERENTE MUNDIAL DE MOTORSPORT DA PIRELLI

“Acima de tudo, os acontecimentos deste fim de semana são insignificantes em comparação com a perda de Charlie Whiting, ontem, que deixa um vazio enorme no esporte que é impossível de preencher. Tendo trabalhado tão estreitamente com ele desde que chegamos na Fórmula 1, posso dizer que ele vai fazer muita falta para todos nós na Pirelli.

Falando sobre os pneus, não houve grandes surpresas desde o primeiro dia de treinos livres este ano, além de uma diferença de quase um segundo entre macio e médio: um pouco mais do que esperávamos. A julgar pelo feedback inicial das equipes, eles parecem felizes com o desempenho geral dos pneus nestas condições, enquanto para os fãs tendo só os nomes duro, médio e suave na pista fica mais fácil de entender. Ainda há muito pela frente neste fim de semana, com a experiência adquirida nos mostrando que o circuito continua a evoluir”.

*Os números acima dão o total de quilômetros percorridos durante os dois treinos livres com todos os pilotos combinados.
** Por composto, todos os pilotos combinados.

PRESSÕES MÍNIMAS PARA A LARGADA E LIMITES DE CAMBAGEM