Diferença de desempenho entre os compostos duro e médio é de 0s9 a 1 segundo

Apesar das condições difícies, não houve formações de bolhas. E, segundo a previsão do tempo, a classificação e a corrida serão com chuva

A temperatura mais alta do asfalto que vimos no ano passado foi de 57ºC, durante o fim de semana do Grande Prêmio do Brasil. Esse recorde esteve próximo de ser batido hoje, com as temperaturas do asfalto de Sepang atingindo picos de 56ºC no Treino Livre 2.

As condições de corrida são as piores possíveis, com curvas muito acentuadas e fortes cargas aerodinâmicas, desgaste e degradação elevados e baixa aderência à pista, em função do excessivo calor. Por tudo isso, a diferença no desempenho dos compostos P Zero Laranja duro e P Zero Branco médio até agora está entre 0s9 e 1s.

As temperaturas ambientes foram tão desgastantes quanto as da pista, atingindo picos de 36ºC, com alta umidade. Consequentemente, o risco de chuva é constante, com a meteorologia prevendo chuva já a partir dos treinos de amanhã. Este ano, a prova será disputada mais cedo do que no ano passado, o que aumenta ainda mais a possibilidade de chuva durante a prova. Mesmo as temperaturas de pista devem ser maiores que as do ano passado também.

A Mercedes foi a equipe mais rápida nos dois treinos de hoje, com Nico Rosberg à frente no Treino Livre 1 e Lewis Hamilton no Treino Livre 2. Ambas as voltas mais rápidas foram melhores que as equivalentes de 2014.

Paul Hembery: “Se essas condições persistirem até sábado, provavelmente nós vamos experimentar a sensação mais quente de todo o ano, o que, obviamente, exigirá muito dos pneus. Os compostos médios estão sofrendo um pouco mais do que os duros, o que já era esperado, com a roda dianteira esquerda sendo a mais exigida e a que deve ser a maior preocupação dos pilotos. Além disso, não vimos formações de bolhas e essa diferença, de 0s9 a 1s entre os compostos, abre muito as possibilidades de estratégia para as equipes. No entanto, com este clima único e típico da Malásia, esta se torna uma das corridas mais imprevisíveis da temporada e tenho certeza que teremos muita ação aqui neste fim de semana.”

Treino Livre 1 Treino Livre 2
1. Rosberg 1min40s124 Duro usado 1. Hamilton 1min39s790 Médio novo
2. Raikkonen 1min40s497 Duro usado 2. Raikkonen 1min40s163 Médio usado
3. Vettel 1min40s985 Duro usado 3. Rosberg 1min40s218 Médio novo

 

Tyre statistics of the day:

  Duro Médio   Intermediário   Chuva
Kms percorridos * 2964 1308 0 0
Kits usados ** 57 19 0 0
Maiores stints ** 21 21 0 0

 

* Os números acima se referem ao total de quilômetros percorridos nos dois treinos livres de hoje, somados todos os pilotos.

** Por composto, somadas as voltas de todos os pilotos.

Fatos do dia by Pirelli:

Raffaele Marciello, da Ferrari, se tornou o 100th piloto italiano a participar de um fim de semana de Grande Prêmio, ao dirigir a Sauber no Treino Livre 1 de hoje. A última vez que um italiano venceu um GP foi em 2006, quando Giancarlo Fisichella recebeu a bandeirada em primeiro lugar, curiosamente, também nesta pista da Malásia. E a última vez que um italiano havia pilotado com pneus Pirelli havia sido em 2011, quando Jarno Trulli disputou o Grande Prêmio do Brasil.