A temporada do Campeonato Mundial de Motocross FIM segue caminhando, mas uma coisa não muda: os pneus Pirelli Scorpion MX ™ MIDSOFT 32F continuam firmes na liderança, tanto na classe MXGP quanto na MX2.

A categoria principal foi vencida por Clement Desalle, que se aproveitou de um dia ruim de Antonio Cairoli, e cravou um segundo e um primeiro lugares à frente do favorito, o piloto da casa Max Nagl. O campeão mundial e piloto de fábrica da KTM conseguiu apenas a quinta colocação no geral, graças a um vírus estomacal. Cairoli ficou na quinta posição na primeira bateria e em quarto na segunda. O terceiro degrau do pódio, atrás de Desalle e Nagl, ficou sempre com o piloto da Yamaha Jeremy Van Horebeek; o belga garantiu o seu décimo pódio consecutivo, deixando a quarta posição para o piloto da Suzuki, Kevin Strijbos.

O domínio da Pirelli ficou evidente na MX2. O incrível Jeffrey Herlings não deixou dúvidas de sua competência com a sua KTM ao cravar mais duas vitórias, nas duas baterias. O atual campeão mundial superou o esloveno Tim Gajser e o seu colega de equipe Jordi Tixier; o francês, por sinal, também mereceu destaque ao ficar no Top-3 pela terceira vez consecutiva.

A má sorte estava reservada para o suíço Arnaud Tonus. O piloto da Kawasaki só conseguiu manter a segunda posição no campeonato, depois que um acidente nos treinos resultou em um ombro deslocado e em um curto período de inconsciência.

O Scorpion MX 32™ foi destaque ainda no Campeonato Europeu de EMX125, com Brian Hsu vencendo pela segunda vez nesta temporada com a sua Suzuki equipada tanto na dianteira quanto na traseira com pneus Pirelli Scorpion™ MX MIDSOFT 32F. O piloto alemão, que vive na Itália, é o segundo na tabela e se aproximou do líder Davy Pootjes. O piloto alemão, oficial Pirelli, teve de se retirar da corrida depois de uma lesão no ombro, no sábado.

A décima segunda rodada do Campeonato Mundial de Motocross FIM será disputada em Uddevalla, no dia 6 de julho, no GP da Suécia.