O mais recente pneu Scorpion da Pirelli para cascalho fará sua estreia no WRC em Portugal, no próximo fim de semana, de 3 a 6 de abril.

O nome Scorpion não era visto no WRC desde que a Pirelli terminou seu contrato de fornecimento exclusivo com a categoria em 2010. Agora, o novo pneu Scorpion estreia no Ford Fiesta RS WRC de Henning Solberg.

O norueguês usou anteriormente o pneu Sottozero da Pirelli para vencer uma etapa no gelo e neve no Rally da Suécia em fevereiro – na segunda corrida após o retorno da Pirelli. O desafio na quarta rodada do campeonato mundial, que será realizado em estradas de cascalho perto de Faro, será muito diferente.

Pilotos da Pirelli em Portugal

Além de Henning Solberg no WRC, a Pirelli é representada na categoria WRC2 pelos seguintes pilotos:

33 Max Rendina/Mario Pizzuti (Mitsubishi Lancer Evo 10)

43 Bernardo Sousa/Hugo Magalhães (Ford Fiesta RRC)

44 Julien Maurin/Nicolas Klinger (Ford Fiesta RRC)

37 Lorenzo Bertelli/Mitia Dotta (Ford Fiesta R5)

75 Rui Madeira/Nuno da Silva (Ford Fiesta R5)

76 João Barros/Jorge Henriques (Ford Fiesta R5)

 

Os pneus disponíveis

Para as superfícies ásperas de cascalho, a Pirelli levará o composto duro Scorpion XR5 e o macio XR7.

O desenho da banda de rodagem do XR foi projetado para superfícies particularmente abrasivas e agressivas. A estrutura interna torna o pneu resistente a pedras e impactos, enquanto que os flancos também são reforçados para resistir a furos. O novo XR é um pneu simétrico (não- direcional), o que faz com que os pneus sejam permutáveis ​​em ambos os lados do carro: uma vantagem importante quando se trata de estratégia.

 

As regras

Apenas um composto principal é nomeado por evento em cascalho (o composto duro em Portugal) com quantidade limitada de um composto mais macio, disponível em caso de mudanças climáticas.

Os pilotos do WRC1 estão autorizados a usar 25 pneus para o evento, além de quatro para o shakedown, somando 29 pneus no total. Os pilotos do WRC2 tem uma alocação de 20 pneus para o evento (mais quatro para o shakedown) somando 24 pneus no total.

O XR5 é o composto nomeado principal, com o composto mais macio XR7, adequado para uso em condições mais frias, disponíveis como opção.

 

Aspas

“Fiquei muito impressionado com o desempenho dos pneus Pirelli na Suécia, onde estávamos competitivos do início ao fim, e embora o cascalho de Portugal seja uma superfície completamente diferente, eu espero que estes pneus nos deem uma vantagem mais uma vez. Tenho muitas boas recordações de pilotar com a versão anterior do Scorpion anos atrás, mas eu tenho que ser realista: nosso carro não é oficial da montadora e eu não fiz nenhum teste antes do rali. Vamos começar as atividades direto no shakedown. Em uma situação como essa, você espera que os pneus ajudem a fazer a diferença”, diz Henning Solberg, piloto Pirelli.