As equipes de Fórmula 1 testaram a gama de pneus Pirelli que será utilizada do GP da Hungria em diante, durante os três dias de testes em Silverstone. Além da chance de avaliar jovens pilotos – pois originalmente o teste foi planejado apenas para novos talentos – os titulares também foram autorizados a participar, desde que fizessem os testes de pneus de acordo com o planejamento determinado pela Pirelli.

Ao final dos três dias, as equipes coletaram muitos dados que serão úteis para o resto da temporada. No entanto, como a nova especificação de pneu consiste na construção de 2012 com os compostos de 2013, as equipes já tinham muitas informações sobre os elementos constituintes dos pneus novos – por isso não houve grandes surpresas.

“Acreditamos que todos atingiram os seus objetivos nestes três dias de provas em Silverstone. Do nosso ponto de vista, aproveitamos ao máximo esta oportunidade, para coletar dados que nos ajudarão a entender melhor as necessidades das equipes de Fórmula 1 no futuro. Embora os simuladores modernos sejam extremamente avançados, ainda há algumas coisas que você só pode descobrir apenas se correr em uma pista com um carro bom. Por isso, gostaria de agradecer a todas as equipes e os órgão de gestão pela sua cooperação em nos ajudar a atingir este objetivo”, disse Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

“Todos os pneus funcionaram de forma confiável ao longo dos três dias de testes, embora, evidentemente, não seja possível comparar os tempos aos observados no GP da Inglaterra, porque as condições da pista e outros parâmetros dos carros eram diferentes. A combinação da performance da estrutura de 2012 com a velocidade dos compostos atuais proporcionará uma mistura interessante de estratégias para as próximas corridas. As equipes já tem um monte de informações sobre a forma e deformação do pneu da temporada anterior, e os três dias em Silverstone foram úteis para avaliar o efeito que isso terá sobre os veículos de 2013, com resultados positivos”.

Fatos do teste:

As equipes podem testar normalmente 100 conjuntos de pneus por ano (embora tenham sido concedidos mais 12 conjuntos em Silverstone), com todos os compostos da gama P Zero disponíveis. Cabe a elas escolher o número de conjuntos e compostos que gostariam de avaliar nos testes.

Além disso, um novo protótipo de composto duro foi disponibilizado para os testes em Silverstone, para uso de somente dos pilotos titulares. Esta versão mais dura do composto duro já foi testada durante os treinos livres dos GPs espanhol e britânico.

Números do teste:

Número total de conjuntos levados a Silverstone: 344, o que equivale a 1.376 pneus

- Pneus macios: 29 conjuntos

- Pneus médios: 105 conjuntos

- Pneus duros: 139 conjuntos

- Protótipos de pneus duros: 25 conjuntos

- Pneus intermediários: 30 conjuntos

- Pneus de chuva: 16 conjuntos

Quantidade total de conjuntos utilizados: 224

- Macios: 18 conjuntos

- Médios: 84 conjuntos

- Duros: 107 conjuntos

- Protótipo de pneus duros: 15 conjuntos

- Intermediários: 0 conjuntos

- De chuva: 0 conjuntos

Maior número de voltas com um mesmo composto:

- 17 voltas com o composto duro

- 18 voltas do composto duro protótipo

- 16 voltas com o composto médio

- 11 voltas com o composto macio

Temperatura ambiente mais baixa/alta durante os três dias: 19°C (dia 2)/28°C (1 dia)

Temperatura de pista mais baixa/alta durante três dias: 27°C (dia 2/3)/45°C (dia 1/3)

Tempos:

Dia 1

1. Kevin Magnussen (McLaren) – 1m33s602    Novo Médio

2. Paul Di Resta (Force India) – 1m33s774       Protótipo Duro

3. Antonio Felix Da Costa (Red Bull) – 1m33s821       Novo Duro

Dia 2

1. Daniel Ricciardo (Toro Rosso) 1m32s972    Médio usado

2. Carlos Sainz Jr. (Toro Rosso)  1m33s016    Novo Macio

3. Daniel Ricciardo (Red Bull)     1m33s187    Novo Duro

Dia 3

1. Sebastian Vettel (Red Bull)      1m32.894s   New Medium

2. Adrian Sutil (Force India)          1m33.242s   New Medium

3. Nicolas Prost (Lotus)      1m33.256s   New Medium