O piloto da Red Bull, Sebastian Vettel, ampliou sua liderança no campeonato com a vitória no GP da Alemanha, adotando uma estratégia de três paradas, largando com o composto P Zero Amarelo macio, e em seguida utilizando três jogos do P Zero Branco médio.

O líder do campeonato começou na segunda posição e fez uma excelente largada para assumir a liderança na primeira curva. Havia diferentes estratégias desde o início. As duas Ferraris, assim como a McLaren de Jenson Button, a Sauber de Nico Hulkenberg e Nico Rosberg, da Mercedes, foram alguns dos sete pilotos que começaram com o composto médio.
Faltando 36 voltas para o fim da corrida, a entrada do carro de segurança levou a maioria dos pilotos a fazer a segunda parada. Como as equipes estavam utilizando estratégias variadas, o pódio só foi definido nas últimas voltas. Kimi Raikkonen da Lotus conseguiu permanecer na pista por bastante tempo e passou a liderar a corrida, antes de parar para colocar os pneus macios, faltando 11 voltas para o fim. Fernando Alonso e Button da Ferrari também completaram a prova com o composto macio. Todos os cinco primeiros colocados utilizaram uma estratégia de três pit-stops, com Button sendo o melhor colocado entre aqueles que pararam apenas duas vezes, em sexto.

“Haviam todos os ingredientes para uma brilhante corrida de estratégias, desde o início, com alguns pilotos começando com pneu médio, a fim de permanecer mais tempo na pista antes da primeira parada, do que os carros que utilizaram pneu macio. Para muitas equipes, era quase um pneu de qualificação – que deu às táticas de um risco interessante. Havia diferentes estratégias em jogo, o que significa que o final foi extremamente disputado. O desempenho geral e durabilidade dos nossos pneus ficaram dentro das nossas expectativas, enquanto a degradação térmica foi, talvez, um pouco mais alta do que o esperado, devido às altas temperaturas da pista, mas o desgaste foi como prevíamos. Certamente teria sido possível completar a corrida com dois pit stops, como muitas das equipes mostraram. No entanto, o carro de segurança alterou as coisas”, analisou Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

“Por último, mas certamente não menos importante, gostaria de agradecer ao nosso pessoal na fábrica de Izmit, na Turquia, que trabalhou incansavelmente após Silverstone, para produzir a quantidade necessária de novos pneus traseiros, e nossa equipe de logística que fez com que os pneus estivessem aqui na terça-feira. Foi um grande esforço da equipe,e eu gostaria de agradecer a todos”, concluiu Hembery.