“No ano passado, a estratégia vencedora consistiu de duas paradas, mas este ano, um só pit stop poderá ser possível, para alguns pilotos”, diz Paul Hembery

O GP da Índia é disputado em um dos circuitos mais rápidos e espetaculares do calendário de Fórmula 1, onde nove das 10 curvas entre as curvas cinco e a 14 são feitas com velocidades entre 200 e 250km/h. Para enfrentar as altas exigências, a Pirelli nomeou os compostos PZero Prata (duro) e PZero Amarelo (macio) para esta prova.

Sebastian Vettel, da Red Bull, mostrou que está em boa fase e fez o melhor tempo dos treinos livres: 1min26s221, com os pneus macios, na segunda seção de treinos livres, um décimo de segundo à frente de seu companheiro de equipe Mark Webber. Vettel também foi dominou o GP da Índia em 2011, vencendo a corrida de ponta a ponta e ainda cravou a volta mais rápida.

Todos os pilotos usaram os pneus duros na parte da manhã – quando Vettel foi o mais rápido também, por três décimos de segundo – antes de passarem para o pneu macio, na segunda metade dos treinos da tarde, realizado com 38 graus de temperatura da pista.

A diferença entre os pneus macios e os duros na Índia deverá ficar entre 0,8s a um segundo por volta, mas a situação é mais complicada pelo elevado grau de evolução de pista de Buddh, a medida que a superfície fica emborrachada. Durante o treino da manhã, por exemplo, alguns pilotos foram melhorando seus tempos até um segundo por volta, no decorrer da sessão, quando Vettel fez o melhor tempo (1min27s619) nos cinco minutos finais, com o pneu duro.

“Para formular as suas estratégias de corrida, as equipes terão de considerar a diferença de desempenho significativa entre os dois compostos e asfalto que evolui rapidamente. Como sempre, para tirar o melhor proveito dos pneus, os pilotos precisarão saber mantê-los na temperatura de funcionamento ideal. No ano passado, a estratégia vencedora consistiu de duas paradas, mas pelo que vimos até agora, este ano, um pit stop pode ser possível para alguns pilotos”, comentou Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli.

“A dupla da Red Bull conseguiu um ritmo muito rápido, até agora, mas é a combinação de velocidade e estratégia que vai vencer a corrida no domingo, e neste ponto, a gente nunca sabe exatamente com quanto de combustível as equipes estão correndo. Com os pneus enfrentando muito bem as demandas da Índia, esperamos que o ritmo de corrida dos pilotos do pelotão da frente seja bem próximo”, concluiu Hembery.

Pirelli números do dia

Jogos utilizados
Duro: 48
Macio: 24
Maior número de voltas por composto
Duro: 19 (Kobayashi)
Macio: 23 (Raikkonen)