life

Calendário Pirelli 2014: uma jóia do arquivo para o 50º aniversário do Calendário

Um trabalho não publicado de Helmut Newton proporcionou um nome lendário para marcar os 50 anos do Calendário

Home life Calendário Pirelli 2014: uma jóia do arquivo para o 50º aniversário do Calendário
Calendário Pirelli 2014: uma jóia do arquivo para o 50º aniversário do Calendário

Em meados da década de 80, Helmut Newton era um gigante da fotografia de moda e tê-lo como fotógrafo de um Calendário Pirelli foi uma grande jogada. Mas depois que Newton teve de se ausentar por motivos familiares durante as sessões, seu trabalho permaneceu invisível pelos próximos 30 anos.  Por mais incrível que pareça, seu estilo –  preto e branco, mais sério do que explosivo – parecia se adequar mais ao ano de sua publicação final, 2014, do que a 1986. E isso foi o que proporcionou um nome lendário para marcar o 50º aniversário do Calendário.

A história começa na primavera de 1985 com um desafio “interno” incomum. A Pirelli do Reino Unido liderou o projeto do Calendário desde seu lançamento em 1964 e contratou o fotógrafo americano Bert Stern, conhecido por tirar o último retrato de Marilyn Monroe, para criar a edição de 1986. Mas a Pirelli Itália, ciente do apelo global do Calendário, decidiu entrar em ação e encomendar sua própria versão por Newton em paralelo ao esforço britânico. Os projetos britânico e italiano correram lado a lado, um ignorando resolutamente a existência do outro.

Uma homenagem à mulher italiana arquetípica

Outra estranheza sobre a versão italiana era seu briefing. Tendo nomeado Newton, a Pirelli Itália não colocou limites em sua criatividade, exceto pela especificação de que os produtos da empresa tinham que aparecer em todas as fotos. Havia precedentes para isso. O Calendário protótipo de 1963, que nunca foi lançado, apresentava pneus Pirelli em uma variedade de veículos e máquinas ao lado de modelos de todo o mundo. O uso de produtos mais recentes foi mais sutil, como a pintura da trilha do pneu em uma modelo do Calendário de Uwe Ommer em 1984 e o tema Cinturato nos trajes usados no Calendário de 1985, fotografado por Norman Parkinson.

Para sua interpretação do Calendário - completo com pneus - Newton produziu o que só pode ser descrito como uma homenagem à mulher italiana arquetípica e ao estilo de vida italiano. As primeiras fotos foram tiradas em Monte Carlo, onde Newton tinha casa, e coincidiram com o Grande Prêmio de Mônaco. O outro local era a vinícola Podere Terreno em Chianti, onde ciprestes, casas de fazenda e a paisagem toscana forneceram o cenário para a visão de Newton. Seja escalando uma árvore ou pisando em um campo de milho, as modelos sensuais que ele apresentou lembram as heroínas do cinema neorrealista italiano, como Sophia Loren, Lucia Bosé e Silvana Mangano.

Quando, inesperadamente, Newton foi chamado de volta a Monte Carlo para lidar com uma emergência familiar, Manuela Pavesi,  sua estilista e assistente de criação nas fotos assumiu o ensaio. Editora de moda da Vogue Itália desde 1973, Pavesi trabalhou com os importantes fotógrafos Guy Bourdin, Albert Watson e Irving Penn, bem como com Newton no editorial da revista e em várias campanhas publicitárias. Para as poucas fotos restantes do Calendário, Newton deixou instruções precisas sobre o que deveriam ser e como a câmera Hasselblad deveria ser posicionada. Pavesi preparou as cenas e deu o sinal para o assistente de Newton, Xavier Alloncle, tirar as fotos. Essa foi uma experiência fundamental para Pavesi, que a encorajou a diversificar o estilo e começar a tirar fotos para a Vogue Itália, L'Uomo Vogue, Dazed and Confused e i-D, entre outras publicações.

As marcas registradas de Newton

As imagens finais do Calendário apresentam várias marcas registradas de Newton. O fotógrafo alemão foi pioneiro em fotografar em locações nas décadas de 1960 e 1970, levando fotos de moda do estúdio para a rua e fazendo uso de aeródromos e cenários urbanos. Aqui, ele mostra o mesmo talento para enquadrar exteriores, incorporando pneus Pirelli em cada foto com alguma ingenuidade. Newton também gostava de fotografar totalmente em preto e branco e de uma forma que enfatizasse as estruturas altas de suas modelos. Muitas das mulheres são fotografadas por baixo. Ele também gostava de inserir espectadores, geralmente homens, em suas imagens.

Porém essas imagens, com sua timidez, dificilmente são típicas de Newton. A falta de nudez ou outra provocação as tornaram as mais inofensivas de sua extensa obra. Conhecido como o “King of Kink” (Rei do Fetiche), Newton fez seu nome com nus poderosos (“Big Nudes” era o nome de uma série dos anos 1980). Também é possível encontrar humor e uma certa indolência surreal, principalmente em seus retratos de celebridades. Uma fotografia icônica de 1985 de Elizabeth Taylor mostra a atriz em uma piscina segurando um papagaio da mesma cor de seu colar de esmeraldas Bulgari de $ 1,5 milhão.

Um tesouro enterrado

Com espaço para apenas um Calendário em 1986, a decisão tomada foi a de ficar com as imagens de Stern, que mostravam modelos em estúdios de artistas contemporâneos imaginários. As fotos eram coloridas, gráficas e talvez um reflexo mais verdadeiro do espírito impetuoso dos anos 1980. As imagens de Newton foram mantidas em sigilo no arquivo da Pirelli. Lá permaneceram até 2014, quando foram remontadas para uso no Calendário de 50 anos.

Infelizmente, o próprio fotógrafo não estava por perto para ver o calendário reunido. Newton morreu em 2004 quando seu carro saiu do controle na garagem do hotel Chateau Marmont em Los Angeles e bateu em uma parede. Ele tinha 83 anos. O Calendário de 2014 serviria como um memorial e uma vitrine para sua arte, um esconderijo de trabalhos inéditos, como um tesouro enterrado que finalmente veio à tona.

Saiba mais
Informação do produto
O melhor da tecnologia de ponta da Pirelli
Descubra o novo P Zero
Encontre
Selecione o produto sob medida para você
Encontre o melhor pneu para seu carro
life