life

Big Data, nanomedicina e novos empregos: quais serão as mudanças trazidas pela Revolução Digital?

A conferência “O Futuro da Ciência em Veneza”, de 22 a 24 de setembro, examinará os potenciais da nova era digital 

Home life Big Data, nanomedicina e novos empregos: quais serão as mudanças trazidas pela Revolução Digital?
Big Data, nanomedicina e novos empregos: quais serão as mudanças trazidas pela Revolução Digital?

Já estão chamando de Quarta Revolução Industrial. É uma mudança que envolve todas as áreas de trabalho, não apenas os principais setores e multinacionais.  É a Revolução Digital e, como todas as grandes mudanças, pode te pegar desprevenido, se não inteiramente de surpresa. Uma pesquisa realizada pelo Top Employers Institute e pela Escola de Administração da Politecnico di Milano descobriu que, desde já, mais de 176 mil empregos exigirão um alto conhecimento tecnológico e digital até 2020, e isso só na Itália. Dada essa oferta de novos postos de trabalho, a má notícia é que não há um número suficiente de pessoas com as qualificações apropriadas para a tarefa. Na Europa, por exemplo, a diferença entre os empregos oferecidos e as pessoas com as qualificações adequadas chega a 3%, havendo cerca de 20 mil cargos relacionados à alta tecnologia disponíveis na Itália hoje.

Big Data, nanomedicina e novos empregos: quais serão as mudanças trazidas pela Revolução Digital?

Um comentário da Conferência dos Reitores das Universidades Italianas (CRUI) ilustra o impacto da Revolução Digital: “Este é um momento muito crítico para os jovens. Em 10 anos, 40% de todas as oportunidades de emprego virão de trabalhos que não existem hoje. Cientista de Dados, Gerente de Mídias Sociais, Gerente de e-Commerce, Estrategista Digital - essas são algumas das novas profissões mais solicitadas pelas empresas em todas as áreas, mas que são difíceis de treinar dentro da empresa ou de conseguir no mercado de trabalho”. 

A décima segunda edição da “Conferência Mundial sobre o Futuro da Ciência” – a ser realizada em Veneza de 22 a 24 de setembro – será dedicada a investigar os riscos e as oportunidades da Revolução Digital em profundidade. “Revolução Digital: o que está mudando para a humanidade?” é o título escolhido para a conferência mundial organizada pela Fondazione Umberto Veronesi e promovida pela Fondazione Giorgio Cini e pela Fondazione Silvio Tronchetti Provera, criadas para promover o estudo da ciência entre os jovens, e a Pirelli, firmemente estabelecida como uma empresa responsável por pesquisa e inovação.
“A revolução industrial impactará todas as áreas das atividades humanas e, por esse motivo, precisamos criar novos talentos jovens para assumir o desafio”, explicou Lucio Pinto, Diretor da Fondazione Silvio Tronchetti Provera.  “A nossa fundação, criada com o objetivo de promover pesquisa em ciência, tecnologia e economia ao formar jovens pesquisadores de excelência, vê “O Futuro da Ciência 2016” como um importante evento no desenvolvimento do nosso país”.

Partindo do pressuposto de que cada minuto da nossa vida é atravessado por pequenas ou grandes transformações e interações contínuas entre homem e máquina – smartphones, computadores, nuvem, etc. –, é fundamental que as empresas entendam como organizar e adaptar suas tecnologias e habilidades às exigências, e que as pessoas entendam o que significa a era digital no dia-a-dia. 

O evento será organizado em diversas sessões e áreas temáticas. A sessão de abertura será dedicada à inteligência artificial e à relação entre ciência, tecnologia e sociedade, com discursos de Alessandro Curioni, Vice-Presidente para a Europa e Diretor da IBM Research, e Sheila Jasanoff, Professora Pforzheimer de Ciências e Estudos Tecnológicos, Diretora do Programa de Ciência, Tecnologia e Sociedade da Harvard Kennedy School. 

A primeira sessão – com palestrantes mundialmente reconhecidos como Alberto Sangiovanni-Vincentelli, da Universidade da Califórnia em Berkeley, e Derrick de Kerckhove, da Universidade de Toronto – será dedicada à importância dos dados em um mundo totalmente digital. O Big Data pode ser ao mesmo tempo um risco e uma oportunidade. Por esse motivo, a sessão também enfocará a segurança de computadores e a proteção de dados, realidade virtual e a Internet das Coisas. “Pessoas, objetos e espaços estão constantemente conectados à Internet através de dispositivos e circuitos inteligentes", explicou Alfonso Fuggetta, Professor da Politecnico di Milano e CEO da CEFRIEL. "As atividades podem ser rastreadas e perfiladas para gerar uma enorme quantidade de dados. Estes, por sua vez, podem ser utilizados para criar novas formas de comunicação, facilitar nosso trabalho, tornar o ambiente mais limpo e mais seguro e, em geral, melhorar a qualidade de vida". A sessão será encerrada por Carlo Ratti, Diretor do MIT Senseable Lab, que apresentará uma visão das cidades e infomobilidade na era da Revolução Digital.

A segunda sessão da conferência “O Futuro da Ciência” discutirá o impacto da Revolução Digital na sociedade, tendo como objetivo investigar os valores digitais trazidos à sociedade pelo Big Data (por exemplo, pela administração pública e na burocracia) e como a democracia se transforma na era digital. “A digitalização será um momento decisivo para a democracia. Ela propicia conexões digitais, trocas de informações, interações em tempo real e abre novos caminhos para as comunicações e a interação funcional entre os estados e os cidadãos em diversos níveis de governança”: este será o conceito que sustentará as falas de Patrizia Nanz, Diretora Científica do Instituto de Estudos Avançados de Sustentabilidade e Professora de Estudos de Sustentabilidade Transformativa da Universidade de Potsdam, e Ariane Goetz, pesquisadora do projeto de Participação e Governança do Instituto de Estudos Avançados de Sustentabilidade de Potsdam. A sessão será encerrada por Carlo Batini, da Universidade Bicocca de Milão, que abordará o impacto do Big Data na sociedade e na governança do estado.
A décima segunda edição da conferência será encerrada por uma sessão dedicada à saúde, onde estudiosos mundialmente famosos discutirão a questão da coleta de dados para promover avanços na biologia, medicina, digitalização da vida e nanomedicina. "A área de saúde está se transformando rapidamente de uma prática centrada no produto a uma prática centrada no paciente”, declarou Michael Seewald, Diretor Mundial da Real World Evidence na Novartis, um dos palestrantes. “Os dados são coletados de muitas maneiras diferentes durante a prática médica diária, abrindo o caminho para novas oportunidades de pesquisa científica e melhoria dos sistemas de saúde”.

Resumindo, a Revolução Digital envolverá todas as áreas das nossas vidas: a conferência de Veneza dará a oportunidade, principalmente aos muitos jovens e entusiastas da ciência, de compartilhar a urgência do entendimento do escopo do fenômeno e explorar seus benefícios.

Saiba mais
Relacionadas
Informação do produto
O melhor da tecnologia de ponta da Pirelli
Descubra o novo P Zero
Encontre
Selecione o produto sob medida para você
Encontre o melhor pneu para seu carro
life