A Pirelli lança hoje, no autódromo Velo Città, no interior do estado de São Paulo, o primeiro pneu radial fabricado no Brasil para o segmento de motocicletas Street de média cilindrada para o mercado latino-americano: Diablo Rosso II. Desenvolvido no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da fabricante no Brasil, junto com o Centro da matriz na Itália, o novo produto destina-se para os motociclistas que desejam conferir maior esportividade para as motos de 250 a 300 cilindradas.

O novo pneu, cuja tecnologia pode ser desfrutada a partir de agora por mais de um milhão de motociclistas latino-americanos, deriva diretamente da experiência adquirida no segmento estradal de motos de alta cilindrada e também do Campeonato Mundial de Superbike, do qual a Pirelli é fornecedora única há sete anos. O pneu está em fase avançada de homologação nas principais montadoras da América Latina.

Com processo industrial desenvolvido especialmente para o segmento e com uma tecnologia exclusiva, foi possível desenvolver um produto que apresenta significativa melhora em todos os atributos do pneu sem comprometer nenhuma das características, conforme o que ilustra o gráfico ao lado. O Diablo Rosso II dispõe de maior segurança, durabilidade, performance e design arrojado, comparado aos pneus com tecnologia convencional e compatível com as melhores motocicletas do mercado. O produto conta com melhora de 15% em dirigibilidade e 10% em nível de aderência em todas as condições de pilotagem, em relação à estrutura convencional. Para pistas molhadas, a distribuição aprimorada dos sulcos de drenagem do pneu colabora com 20% a mais na segurança da pilotagem em relação à tecnologia convencional por meio da tecnologia FGD – Functional Groove Design, que foi patenteada pela Pirelli. 

A tecnologia radial confere uma estabilidade superior, melhorando a absorção das irregularidades da pista, e, consequentemente, atingindo alto nível de precisão. Outra tecnologia presente nesse produto é a EPT (Enhanced Patch Technology), que proporciona a otimização da área de contato com o solo, permitindo maior aderência e segurança na estrada, além de um aumento de rendimento quilométrico de até 20% comparado ao produto de tecnologia convencional.

Para atingir a melhor tecnologia para o novo radial da Pirelli, foram realizados testes em pista com provas de comportamento do pneu no seco e no molhado, mais de 100 mil quilômetros de testes de rendimento quilométrico, além de testes dinâmicos específicos no laboratório indoor do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da Pirelli em Santo André (São Paulo).  Até o momento, o desenvolvimento do produto recebeu investimento de mais de R$ 3 milhões.  Até 2017, prevê-se investir mais R$ 7 milhões no projeto para acompanhar o crescente volume de produção que virá com as novas homologações.

As novas medidas do Diablo Rosso II são produzidas na unidade da Pirelli em Gravataí, no Rio Grande do Sul. Os produtos estarão disponíveis para o mercado brasileiro ao longo do segundo semestre de 2013 e, para os outros países latino-americanos, serão comercializados a partir do início de 2014.

No período 2013 a 2017, a Pirelli estima que venderá mais de um milhão de pneus Diablo Rosso II, compatíveis com as medidas das motos de média cilindrada da América Latina, tanto nos canais de reposição quanto no Equipamento Original, fortalecendo a liderança no mercado de pneus de moto na região.

A primeira versão do pneu Diablo Rosso II, produzida na fábrica da empresa na Alemanha e voltada para o mercado de motos Supersport e Naked, foi apresentada internacionalmente na 68ª edição do Salão Internacional EICMA de Milão em 2010.

A nova geração Diablo Rosso II revoluciona a condição de pilotagem com altos níveis de esportividade para garantir prestações e segurança para motocicletas de média cilindrada”, afirma Gianfranco Sgro, diretor geral de operações para América do Sul da Pirelli. “Este novo pneu atende às necessidades dos motociclistas deste segmento de mercado, carentes de um produto que dispusesse de tecnologia de ponta que a Pirelli já oferece para as motos de alta cilindrada”.

 

De acordo com dados obtidos pela Pirelli por meio de pesquisa de mercado, os proprietários de motos de 250 a 300 cilindradas almejam motos de maior potência e, para tanto, procuram equipamentos que sigam esta tendência. A segurança e a performance são pontos de grande preocupação deste motociclista.

Com essas informações em mãos, procuramos desenhar o produto ideal para este segmento, oferecendo a melhor tecnologia e o mais avançado processo industrial de que dispomos”, afirma Marcelo Natalini, diretor da unidade de negócios motocicleta para America do Sul da Pirelli.

O segmento Street de média cilindrada

Com um parque circulante de aproximadamente 16 milhões de motocicletas no Brasil, de acordo com os dados aferidos em abril de 2013 pela Abraciclo, o segmento

Street de média cilindrada representa praticamente 6% deste mercado. Para este ano, estima-se que as principais montadoras instaladas no País produzam mais de 86 mil motos 250 a 300 cilindradas.

Seguem abaixo as medidas produzidas no Brasil que estarão disponíveis ao mercado latino-americano de motocicletas, com foco na Honda CB 300, Honda CB 250R, Kawasaki Ninja 300 e Yamaha FZ16.

Medidas disponíveis

100/80 R 17 M/C 52H TL (R)  DIABLO ROSSO II      Dianteiro

110/70 R 17 M/C 54H TL (R)  DIABLO ROSSO II      Dianteiro

130/70 R 17 M/C 62H TL (R)  DIABLO ROSSO II      Traseiro

140/60 R 17 M/C 63H TL (R)  DIABLO ROSSO II      Traseiro

140/70 R 17 M/C 66H TL (R)  DIABLO ROSSO II      Traseiro

150/60 R 17 M/C 66H TL (R)  DIABLO ROSSO II      Traseiro

 

Tecnologia radial

A tecnologia radial é o que existe de mais moderno na estrutura de um pneu:

- Área de contato uniforme em toda extensão da banda de rodagem: ótimo desempenho em todas as fases de inclinação da moto e maior durabilidade.

- Duas camadas de cinturas espiraladas a 0º: maior estabilidade na pilotagem.

- Maior área de contato: aderência constante do pneu ao solo.

- Carcaça radial: melhor dirigibilidade com altíssima precisão de direção.

- Ótimo nível de conforto e elevada capacidade de absorção das irregularidades do piso.