Após testes realizados nos dias 24 e 25 de abril, a Pirelli define limites rigorosos de cambagem e pressão dos pneus para os treinos e classificação de hoje e a corrida de amanhã, 28, tendo em vista as características da pista de Tarumã, palco da terceira etapa da Stock Car.

Para os testes, o carro oficial da JL foi conduzido por dois pilotos, Felipe Giaffone e Felipe Maluhy, com o objetivo de aplicar diferentes tipos de pilotagem para uma das pistas consideradas mais agressivas por conta de sua abrasividade, curvas de alta velocidade para a esquerda e retas curtas. Estas três particularidades geram grande demanda sobre os pneus, especialmente o traseiro direito que recebe maior carga ao longo do traçado.

As informações coletadas durante o teste foram apresentadas pela Pirelli à Vicar e CBA. A fornecedora oficial de pneus reuniu-se também com chefes de equipe e pilotos para mostrar estes dados e fornecer as recomendações técnicas acerca das configurações dos carros e dos pneus para esta corrida: cambagem máxima de 3,5 graus na dianteira e 2,0 graus na traseira e pressão mínima nos quatro pneus de 24 psi a frio, com objetivo de alcançar 32 psi a quente.

Especialmente para esta etapa, a Pirelli cedeu um jogo adicional de pneus para cada carro, para uso exclusivo na corrida. O tempo de aquecimento antes da prova passa de 20 para 30 minutos, permitindo aos pilotos aquecer dois jogos de pneus. Um destes deverá ser utilizado para a troca durante pit stop, que teve sua janela modificada para o intervalo entre as voltas 18 e 24.

A fabricante de pneus ressalta a importância de se seguir todas as recomendações técnicas, privilegiando a segurança dos pilotos durante a prova.