A temporada 2013 de automobilismo da Pirelli começa com a mais recente evolução dos pneus da empresa para a Fórmula 1 – a terceira em três anos – e os novos pneus de 17 polegadas para Superbikes: uma nova direção para o maior campeonato de motos. Também foi apresentada a mais nova linha de produtos 2013 para mais de 250 outros campeonatos nos quais a Pirelli está envolvida – quase metade dos quais como fornecedora de um só tipo de pneus – e que acontecem em mais de 40 países em todo o mundo, dos EUA ao Oriente.

O pano de fundo para o lançamento das atividades globais de automobilismo da Pirelli em 2013 foi a sede da empresa, no histórico distrito de Bicocca, em Milão. Para a ocasião, a Pirelli abriu as portas de seus laboratórios de pesquisa e desenvolvimento para a imprensa internacional, onde as linhas de pneus para competição P Zero, Cinturato, Scorpion e Diablo são projetadas e desenvolvidas, bem como a fábrica-piloto Next Mirs – a linha de produção automatizada de pneus mais avançada do mundo.

Os programas e estratégias de automobilismo da Pirelli foram apresentados durante uma coletiva de imprensa internacional realizada por Marco Tronchetti Provera, presidente e CEO da Pirelli, Maurizio Boiocchi, diretor técnico, Paul Hembery, diretor de Automobilismo (Car), e Giorgio Barbier, diretor de Automobilismo (motos).

NOVA TEMPORADA, NOVOS PNEUS PARA FÓRMULA 1 E SUPERBIKES

 

Como todo ano, mais uma vez a Pirelli apresenta pneus novos e inovadores para cada categoria de automobilismo em que está envolvida em 2013, desenvolvidos de acordo com as equipes e com as várias agências reguladoras. As principais inovações giram em torno de campeonatos globais para carros e motos.

Fórmula 1. Toda a linha de pneus para Fórmula 1 sofreu uma revolução neste ano, e os pneus secos P Zero e os pneus molhados Cinturato contam com novas estruturas e compostos mais macios. O objetivo é aumentar a degradação térmica e garantir pelo menos dois pit stops em cada prova, aumentando as oportunidades de ultrapassagem e, assim, ajudando a oferecer um espetáculo ainda maior. Todos os pneus secos têm melhor desempenho e estão mais rápidos, com até 0,5 segundo a menos por volta. A brecha de desempenho entre os diferentes componentes também é de, pelo menos, meio segundo, para melhorar a estratégia da corrida e as diferenças de velocidade durante cada prova.

A mudança mais visível é no composto duro P Zero, que, além de ter uma linha mais ampla neste ano, muda de cor e, agora, é diferenciado pela marcação laranja nas laterais (veja o texto separado).

Superbike. O processo constante de trabalho intenso e inovação realizado pela Pirelli para Superbikes, que começou em 2004, continua nesta temporada pelo 10º ano consecutivo: o mais longo acordo de fornecimento de pneus na história do automobilismo. No ano passado, a Pirelli desenvolveu e levou para as pistas um total de 26 produtos para Superbikes.

Para 2013, a inovação mais ampla da Pirelli para Superbikes é o aumento de 16,5 para 17 polegadas, o que tem um efeito profundo no desempenho geral de cada moto. Os novos pneus foram testados pelos pilotos pela primeira vez durante testes no circuito de Aragón, na Espanha, em julho. Durante o teste, uma melhora de até 1,5 segundo por volta foi registrada (veja o texto separado).

PARCEIRAS DE TODAS AS GRANDES EQUIPES, DOS PROTÓTIPOS AOS MONOPOSTOS

 

O envolvimento da Pirelli no automobilismo vai além da Fórmula 1 e da Superbikes. Durante a temporada de 2013, a empresa italiana será representada em todo o mundo em diversos campeonatos diferentes, nas pistas e nas estradas. No total, a Pirelli está envolvida em outras 250 séries de esportes automobilísticos (além da Fórmula 1 e Superbikes) que exigem a elaboração e a produção de mais de 200 tipos diferentes de pneu todo ano. A Pirelli fornecerá cerca de 720 mil pneus para todas as suas atividades automobilísticas neste ano, reforçando seu status de fabricante de pneus mais envolvida no automobilismo nacional e internacionalmente em todo o mundo.

Todo fim de semana, cerca de 100 equipes competem com pneus Pirelli, das mais famosas, como Ferrari, Lamborghini, McLaren, Maserati, Honda, Ducati, Aston Martin, Porsche, Mercedes, Audi e BMW, às privadas, envolvendo milhares de pilotos – muitos dos quais respaldados pela Pirelli através de programas especiais de desenvolvimento. Como na Fórmula 1 e na Superbikes, todas essas equipes e pilotos são auxiliados por engenheiros e técnicos da Pirelli: cerca de 100 profissionais dedicados que vão de pista a pista, todo final de semana, para dar o melhor suporte possível a suas equipes e acumular o máximo possível de dados uteis para enviar de volta à matriz de pesquisa da Pirelli em Milão. A equipe da Pirelli na Fórmula 1 é formada por 52 pessoas, mais 11 para as séries GP2 e GP3. Na Superbikes, o suporte vem de 30 funcionários da Pirelli.

PNEUS SOB MEDIDA PARA CADA CATEGORIA

Quando se trata de carros, a Pirelli é fornecedora para monopostos (como F1, GP2 e GP3) e também para carros de corrida derivados de seus equivalentes na estrada, como GT e rali (incluindo ralis históricos). A Pirelli também fornece para vários dos mais famosos campeonatos de uma só marca no mundo, como o Ferrari Challenge, o Lamborghini Super Trofeo e o Maserati Trofeo. Neste ano, a Pirelli acrescenta o campeonato mais popular da América do Sul a seu portfólio esportivo, o Stock Car Brasil, e outros grandes campeonatos na América do Norte serão adicionados ao programa no ano que vem.

Nas corridas de moto, bem como na Superbikes e todas as suas categorias associadas, os outros principais campeonatos são o Campeonato Mundial de Motocross e o World Endurance Championship.

Para cada uma dessas séries, a Pirelli desenvolve pneus sob medida, criando soluções inovadoras toda temporada que refletem as evoluções técnicas e regulatórias de cada categoria.

 

GP2 – GP3. Além da Fórmula 1 e a Superbikes, a Pirelli está envolvida em 250 competições em todo o mundo (112 de motos e 138 de carros). As principais categorias de entrada para a Fórmula 1 são a GP2 e a GP3, para as quais a Pirelli também fornece. A nova linha de pneus para a GP2 se adapta às mudanças introduzidas no ano passado. Em 2012, dois compostos por prova foram usados pela primeira vez, como na Fórmula 1, e neste ano praticamente toda a linha foi redesenhada, tornando os pneus mais macios e rápidos. Em particular, os pilotos jovens usarão novíssimos pneus médio, macio e supermacio.

A inovação mais significante para a GP3 diz respeito ao carro, que passa de 280 para 450 CV. Para atender a esse aumento considerável de potência, a Pirelli criou um novo produto (veja o texto separado).

STOCK CAR BRASIL. A Pirelli faz um retorno espetacular ao topo do automobilismo no Brasil neste ano. Depois de uma ausência de cinco anos, a empresa italiana será mais uma vez a fornecedora exclusiva para o Stock Car Brasil, a série automobilística mais popular do País. Os pneus serão produzidos utilizando a mesma fábrica e processos de produção da Fórmula 1, na inovadora unidade automobilística da Pirelli em Izmit, na Turquia (veja o texto separado).

SÉRIE GT. Esta temporada contará com uma nova categoria GT: a GT Sprint Series, que será realizada em conjunto com a Blancpain Endurance Series. Os campeonatos são desenhados para veículos esportivos de prestígio, como os das montadoras Audi, Jaguar, McLaren, Aston Martin, Corvette, BMW e Porsche. Esses carros de desempenho ultra alto são o habitat natural da Pirelli, onde toda a tecnologia da empresa aprendida com o automobilismo é investida (veja o texto separado).

LAMBORGHINI SUPERTROFEO. Também há algumas inovações importantes a caminho para o Lamborghini Super Trofeo, um dos principais campeonatos de uma só marca, do qual a Pirelli é fornecedora desde o seu início. Além de fornecer para os campeonatos europeu e asiático, a Pirelli também equipará as seis provas norte-americanas introduzidas neste ano (veja o texto separado).

SUPERSTOCK. Passando para as duas rodas, além das categorias Superbike e Supersport, a Pirelli também fornecerá para as categorias Superstock 1000 e 600 no Reino Unido, bem como para o Ducati 848 Challenge e o Triumph Challenge (veja o texto separado).

 

OITO CENTROS DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO E TRÊS FÁBRICAS PARA AUTOMOBILISMO

Além da equipe no local, a campanha automobilística da Pirelli é apoiada por uma equipe de 1000 pessoas, entre químicos, físicos e engenheiros que trabalham em centros de pesquisa e desenvolvimento localizados na Alemanha, Reino Unido, Rússia, EUA, Brasil, Turquia e China, que complementam a unidade central de pesquisa e desenvolvimento da Pirelli em Milão.

Esta cidade italiana é a base para 200 engenheiros, 150 dos quais dedicados exclusivamente à Fórmula 1. É ali que ficam os laboratórios de química e física, que realizam testes em compostos e estruturas utilizando técnicas inovadoras. Modelos matemáticos simulam as reações de cada especificação de composto combinada com cada estrutura, em todas as condições possíveis de uso.

Os compostos de competição para carros são produzidos na fábrica Settimo Torinese em Turim e na fábrica de Slatina, na Romênia, enquanto os pneus são fabricados na unidade de Izmit, na Turquia. Desde 2007, esta é a fábrica dedicada ao automobilismo da Pirelli.

Pneus radiais de moto para competição são produzidos em Breuberg, na Alemanha, enquanto os pneus de motos off-road para uso em competição são fabricados em Gravataí, no Brasil.

Todos os pesquisadores, laboratórios e processos de produção automobilísticos trabalham em paralelo com as linhas de produção para pneus de carros e motos, para garantir transferência tecnológica consistente das competições para a estrada. Diversos padrões industriais conhecidos incorporados nos pneus para carros da Pirelli têm suas origens no automobilismo. Eles incluem pneus de perfil baixo e a cinta interna desenvolvida para ralis.