Presidente Luiz Incio Lula da Silva participa da
Inaugurao de mais uma Unidade da Pirelli no Brasil,
pas aonde a empresa lder de
mercado

A Pirelli Pneus inaugurou, no dia 12 de setembro, sua nova
fbrica de Feira de Santana, na Bahia. Com um investimento
inicial de cerca de US$120 milhes, a Unidade possui 32.000
m2 de rea construda. A produo
diria de 2.500 pneus radiais de alta performance,
que sero destinados aos mercados interno e
latino-americano, alm do norte-americano e europeu. ”
Estamos ampliando nossa capacidade de produo para
acompanhar a demanda do mercado” , afirma o presidente do Grupo
Pirelli no Brasil, Giorgio della Seta. Em 2005, com a
fbrica produzindo com sua capacidade total, sero
confeccionados aproximadamente 7.500 pneus por dia. Em uma segunda
fase, j esto planificados investimentos de mais US$
80 milhes que permitiro aumentar a capacidade de
produo para 13 mil pneus por dia. Alm do
presidente Luiz Incio Lula da Silva, estiveram presentes ao
evento os ministros Jaques Wagner (Trabalho), Cristovam Buarque
(Educao), Marina Silva (Meio Ambiente) e Agnelo
Queiroz (Esportes); o governador da Bahia, Paulo Souto, o prefeito
da cidade, Jos Ronaldo de Carvalho, e presidente da
Pirelli, Marco Tronchetti Provera, entre outras autoridades.
A Pirelli est instalada em Feira de Santana desde 1986,
quando adquiriu a Cia Pneus Tropical e passou a fabricar no local
pneus convencionais para caminhes, camionetas, passeio e
nibus. A nova unidade foi construda ao lado da
fbrica j existente e ganhou controles de processo
automatizados, alm de maquinrios de ltima
gerao, que garantem alta produtividade com elevado
nvel qualitativo. Entre outros produtos das linhas passeio
(para automveis) e recreacional (utilitrios
esportivos), a nova fbrica produzir o Cinturato P4,
o Scorpion e o P6 para o mercado Nafta, lanamentos de
sucesso da Empresa.
” Feira de Santana o segundo plo comercial da
Bahia com localizao geogrfica
estratgica, que possibilita atender com agilidade diversos
mercados de reposio. Alm disso, j
possumos uma unidade no local que tem performance e
culturas industriais elevadas, e uma antiga relao
com o municpio, que influenciou na escolha do local para a
ampliao da nossa capacidade produtiva” ,
refora o diretor-superintendente da Pirelli Pneus na
Amrica Latina, Carlos Redondo. Outros pontos positivos e
igualmente importantes so o moderno porto de Salvador, que
facilitar a logstica das exportaes,
e a proximidade com o Plo Industrial de Camaari,
onde a Empresa j possui um de seus centros de
montagem.
FUTURO – A instalao da nova Fbrica
permite, a curto prazo, a criao de 360 postos de
trabalho, alm dos 300 j existentes na antiga
Unidade. Todos os colaboradores foram recrutados na prpria
regio, incluindo aqueles que trabalharam na
construo civil, causando impacto imediato e
positivo nas reas de comrcio, transportes e
servios. A formao tcnica dos novos
funcionrios j contratados foi considerada
prioridade: a Empresa implementou um amplo programa de
aperfeioamento profissional que contou com 20 mil horas de
treinamentos, realizados em parceria com entidades da
regio.
A nova Fbrica reflete tambm a
preocupao da Pirelli com as questes
ambientais. No local, so desenvolvidos projetos visando
substituio da queima de leo por gs
natural, alm da implementao de uma nova
estao de tratamento de efluentes lquidos,
que permite recuperar 95% da gua de consumo
domstico e do processo, e a construo de um
aterro industrial para resduos que beneficiar todas
as indstrias da regio. ” A Pirelli sempre apostou
no futuro do Pas e esta mais uma prova de que a
Amrica Latina — e em especial o Brasil –
prioridade para o Grupo” , acrescenta Giorgio della Seta.
HISTRIA – O Grupo Pirelli atua no Brasil h
quase 75 anos. Suas atividades comearam em 1929, em Santo
Andr (SP), inicialmente produzindo cabos energia. Em 1940,
passou a fabricar tambm pneus para caminhes, na
mesma localidade e, posteriormente, em Campinas (SP), pneus para
automveis. Na dcada de 70, inaugurou a
Fbrica de Gravata (RS), encarregada da
produo de pneus moto, e a Fbrica de
Sumar (Cordas Metlicas). Nessa poca era
lanada a pedra fundamental da Fbrica de Feira de
Santana (BA), onde est sendo inaugurada uma nova linha de
produo.

Atualmente o setor Pneus da Pirelli produz, no Brasil, cerca de
18 milhes de pneus por ano, empregando aproximadamente 6200
funcionrios em cinco fbricas que, junto com as
Unidades de Guacara, na Venezuela, e Merlo, na Argentina,
registraram faturamento de cerca de US$ 750 milhes, em
2002. O setor Cabos e Sistemas da Pirelli mantm no Brasil
quatro Fbricas, todas no estado de So Paulo, onde
trabalham 1000 funcionrios na produo de
cabos e sistemas para os segmentos Energia e
Telecomunicaes. Junto Unidade da
Argentina, faturaram, no ano passado, cerca de US$ 230
milhes.

TECNOLOGIA E INVESTIMENTO EM FATOR HUMANO GARANTEM
QUALIDADE


A nova Unidade rene profissionais qualificados e o que
h de mais avanado em equipamentos para a
produo de pneus

A nova Fbrica de Feira de Santana uma das mais
modernas do Grupo Pirelli no mundo. Tanto os equipamentos como todo
o processo produtivo foram cuidadosamente estudados para que a
Unidade possa operar de maneira segura, produzindo pneus que
sero exportados para mercados extremamente exigentes, como
o dos Estados Unidos. ” O aumento na capacidade produtiva de Feira
de Santana permitir Pirelli maior eficincia
e flexibilidade. E isso ser possvel graas
aos investimentos em tecnologia avanada e no
desenvolvimento de seus recursos humanos, dois pontos que
caracterizam a poltica da Empresa” , afirma o diretor
Industrial Amrica Latina, Frederico Muraro.
Quando o assunto fator humano, um dos principais aliados
da Pirelli o Centro de Educao
Tecnolgica do Estado da Bahia (CETEB), de onde foi
selecionada boa parte dos novos funcionrios. ” A
regio tem um grande potencial com pessoas muito
qualificadas graas principalmente ao trabalho do Centro,
que vem recebendo constante apoio da Pirelli. uma
instituio que valoriza o potencial do ser humano
atravs do conhecimento e isso muito importante
para a nossa Empresa” , destaca Muraro.
Outro aspecto que confirma a filosofia da Pirelli em investir no
desenvolvimento de seus funcionrios diz respeito ao amplo
programa de treinamento, interno e externo, implementado pela
rea de Recursos Humanos, e caracterizado principalmente
pelo intercmbio de conhecimento entre os funcionrios
de diversas Unidades da Pirelli. S em 2003 foram realizadas
mais de 20 mil horas de treinamentos, incluindo cursos realizados
tambm em Santo Andr e Campinas, aonde esto
duas das maiores fbricas latino-americanas da Empresa. ”
Esta troca de experincias faz com que a responsabilidade
pelo desempenho da nova Fbrica seja compartilhada
tambm por funcionrios de outras Unidades, ampliando
o conceito de trabalho em equipe e fortalecendo diversos aspectos
do relacionamento humano” , acrescenta Muraro.
TECNOLOGIA – Paralelamente ao desenvolvimento dos novos
funcionrios, a Pirelli investiu tambm em
tecnologia. Basta uma visita pela nova Unidade para conferir o que
h de mais moderno neste segmento. Nos Banburys, a
elaborao dos compostos de borracha marca o
incio da fabricao do pneu e, como em todo o
processo, recebe ateno especial por parte da
Pirelli. A mistura de materiais como leos,
polmeros, borrachas, negros de fumo e demais produtos
qumicos so feitas automaticamente, nas quantidades
especficas para cada tipo de composto.
A partir desta etapa, novos processos se iniciam na rea de
Semi-prontos. Feira de Santana possui modernas linhas de
extruso de borracha que produzem bandas de rodagem, flancos
e demais perfilados posteriormente utilizados no processo de
confeco dos pneus. A Extrusora Quadruplex, por
exemplo, tem dispositivos eletrnicos que controlam perfis,
peso, largura e velocidade, eliminando automaticamente partes fora
do especificado.
Nesta etapa de produo tambm feita
a preparao, o emborrachamento e o corte dos tecidos
txteis e metlicos que revestem os pneus. Nas
calandras e cortadeiras instaladas em Feira de Santana, este
processo , novamente, monitorado automaticamente por
sistemas de ltima gerao para controle de
peso e espessura dos materiais. E no s. Os
frisos constitudos de fios de ao que prendem o pneu
ao aro da roda do veculo so tambm
produzidos em mquinas com sistemas computadorizados que
permitem sadas simultneas, alm da
possibilidade de obteno de geometrias
diversas.
Na fase de confeco, uma tecnologia inovadora foi
implantada pela Pirelli, que instalou no local mquinas de
confeco de fase nica, que constrem
a carcaa dos pneus juntando todos os semi-prontos
produzidos nas fases anteriores. A partir da, tem
incio o processo de vulcanizao, aonde as
carcaas ganham o desenho final do pneu, aps serem
moldadas em prensas de alta presso e temperatura,
controladas e monitoradas por equipamentos e softwares sofisticados
que garantem preciso e uniformidade do processo.
Antes de deixar a Fbrica, os pneus so sempre
submetidos ao controle final, primeiramente manual e,
posteriormente, automtico. A tecnologia, mais uma vez, se
faz presente nessa fase: mquinas computadorizadas verificam
a uniformidade do produto, a fim de garantir sua
distribuio dentro das especificaes
de qualidade exigidas. ” Feira de Santana est ganhando uma
fbrica que agrega a tradio e o know-how da
Pirelli com o que h de mais sofisticado e eficiente na
produo de pneus. Esta uma aposta que a
Empresa faz em um projeto que pode ser referncia para as
demais Unidades da Pirelli no mundo” , acrescenta Muraro.

UMA TRAJETRIA DE DESAFIOS E CONQUISTAS

A integrao da Pirelli com Feira de Santana
um dos principais aspectos da Unidade, que acumula
conquistas importantes, em diferentes reas

A histria da Pirelli em Feira de Santana
marcada por desafios desde que a empresa adquiriu, em 1986, a Cia
Pneus Tropical, pertencente ao grupo cearense J. Macedo e
inaugurada dez anos antes. Ao longo dos ltimos 17 anos, a
Unidade comemorou diferentes conquistas em diferentes reas.
” Temos um compromisso que no se limita apenas a produzir
pneus com a qualidade; nossa responsabilidade vai alm dos
portes da Empresa. Precisamos ser importantes no
s para os clientes que adquirem nossos produtos, mas
tambm para cada morador da comunidade onde nossa
Fbrica est inserida” , explica o gerente da
Unidade, Eugnio Croxatto. ” A trajetria da Pirelli
na Bahia mostra que esse compromisso sempre foi – e continua sendo
– prioridade para a Empresa” , acrescenta.
E no faltam exemplos que comprovam o estreito
relacionamento que a Fbrica mantm com a comunidade,
que reconhece publicamente a contribuio da Empresa.
Em 1993 e 1995, a Pirelli ganhou o ttulo de ” Vigilante do
Meio Ambiente” , concedido pela Prefeitura Municipal, em
funo da sua poltica de
preservao. Em 1994, recebeu o ECO94, entregue pela
Cmara Americana do Comrcio como reconhecimento ao
projeto ” Qualidade de Vida – Participao
Comunitria na Preveno do Clera” ,
que envolveu cerca de 1500 pessoas entre empregados e familiares.
Trs anos depois foi a vez da Confederao
Nacional da Indstria conceder Unidade o
Prmio Nacional de Conservao de Energia,
pelos excelentes resultados obtidos com a
substituio do sistema de gua quente na
linha de vulcanizao por um sistema com gs
inerte (nitrognio). O investimento de US$ 212 mil
proporcionou economia de 17% do consumo total de
combustveis, ou seja, cerca de 950 toneladas de leo
combustvel ano.
Outras iniciativas sociais importantes esto relacionadas
rea cultural. Um dos mais significativos
smbolos da Bahia recebeu contribuio da
Pirelli de Feira de Santana, que em 1995 aderiu campanha ”
Pelourinho, patrimnio da humanidade. Todo mundo tem que
preservar” . Recentemente, a Unidade patrocinou a
recuperao da Igreja dos Remdios e da Igreja
So Jos das Itapororocas, um dos mais antigos
templos de toda regio, construdo em 1653. A rotina
da Unidade tambm inclui a participao no
Inter Pirelli Campus, projeto que beneficia, no Brasil, cerca de
4000 jovens de comunidades carentes, com idade entre 8 e 14 anos.
S em Feira de Santana, mais de 250 crianas recebem
educao esportiva, acompanhamento da atividade
escolar e orientaes bsicas sobre higiene e
sade, alm de uma srie de iniciativas
implementadas em parceria com entidades da regio, como a
Universidade Estadual de Feira de Santana.
O Centro de Educao Tecnolgica do Estado da
Bahia (CETEB) tambm ilustra a importncia que a
Pirelli d comunidade local. Criado no ano de 1998
pelo Governo do Estado da Bahia em parceria com a iniciativa
privada da regio de Feira de Santana, tem como objetivo
atender crescente demanda de mo-de-obra
especializada na regio. Junto com outras 27 empresas, a
Pirelli participa ativamente das aes realizadas
pelo Centro, considerado o grande responsvel pelo
crescimento do nvel qualitativo dos profissionais que hoje
atuam nas mais diversas empresas de Feira de Santana. A maioria dos
funcionrios selecionados para trabalhar na nova
Fbrica de Feira, por exemplo, foi contratada via CETEB. Os
nmeros comprovam a eficincia dessa iniciativa: o
municpio ocupa, atualmente, o segundo lugar no ranking
estadual com melhor ndice de mo-de-obra
qualificada, ficando atrs apenas de Salvador e
frente de Camaari, um dos maiores plos industriais
da Bahia.
A mesma seriedade que caracteriza o relacionamento com a comunidade
local tambm marca registrada de Feira de Santana
quando o assunto superar desafios, principalmente se
estiverem relacionados Qualidade, compromisso
nmero um da Pirelli. Em 1997, seguindo a poltica do
Grupo, Feira de Santana implementou o Sistema de Gerenciamento da
Qualidade e conquistou a certificao ISO 9001.
Quatro anos depois, comemorou outra conquista: as
certificaes QS9000, ISO/TS16949 e ISO 14001. Agora,
prepara-se para obter, em junho de 2004, a
certificao OHSAS 18001, que atesta outro
compromisso igualmente importante assumido pela Unidade: ser uma
empresa modelo tambm em segurana e sade no
trabalho.
XAPURI – na Unidade de Feira de Santana que a Pirelli
produz o pneu Xapuri, lanado em 2000. Feito com 100% de
borracha natural produzida no Acre, o produto fruto de uma
importante iniciativa patrocinada pela Pirelli. Implementado em
1998, o Projeto Xapuri contribui para o desenvolvimento
sustentvel de comunidades carentes do Acre, na
regio norte do Brasil. Por meio de um acordo de
cooperao tcnica com duas cooperativas da
regio de Sena Madureira e Xapuri, a iniciativa prev
o treinamento da mo-de-obra local e a
instalao de equipamentos modernos, visando a
melhoria dos processos de extrao,
produo e beneficiamento das placas brutas de
borracha. Com a ajuda de tcnicos da Pirelli, os
seringueiros da regio aprenderam como produzir uma borracha
de qualidade superior.

NA AMRICA LATINA, A PRESENA DA PIRELLI
CADA VEZ MAIS SIGNIFICATIVA


Qualidade, produtividade, meio ambiente e segurana
ss aspectos valorizados pela Pirelli em todas as suas
Unidades

O mercado latino-americano representa cerca de 25% das vendas do
setor Pneus da Pirelli no mundo. Em relao a 2001,
as vendas da Empresa aumentaram 10% no ano passado, alavancadas
pelo incremento das exportaes. Alm dos
aspectos comerciais que comprovam a importncia
estratgica da Amrica Latina, no mbito
industrial os nmeros tambm so expressivos:
em 2002, por exemplo, um em cada trs pneus Pirelli
comercializados em todo o mundo foi produzido em uma das Unidades
sul-americanas do Grupo, que mantm outras 15
fbricas nos demais continentes.
Alm de Feira de Santana, a Pirelli Pneus mantm
outras seis fbricas na Amrica Latina: Santo
Andr, Campinas, Gravata e Sumar, no Brasil;
Guacara, na Venezuela; e Merlo, na Argentina. Alm disso,
possui escritrios comerciais no Chile, Colmbia e
Mxico, alm de uma ampla rede de revendedores que
s no Brasil envolve 700 pontos de vendas.
No Pas, a Pirelli lder destacada no
mercado de equipamento original: quase a metade dos veculos
produzidos no Brasil sai de fbrica equipado com pneus
Pirelli. Nos demais pases latino-americanos, a
participao da Empresa vem crescendo a cada ano,
principalmente na Argentina e Venezuela.
PESQUISA E DESENVOLVIMENTO – Entre os 600 pesquisadores,
projetistas e profissionais ligados pesquisa e
desenvolvimento, 130 esto na Amrica Latina. Santo
Andr a sede de um dos principais R& Ds da
Pirelli no mundo, que trabalha de forma integrada com os demais.
Desta forma, cada novo produto que a Pirelli lana no mundo
passa pela anlise de tcnicos no Brasil, onde
so realizados testes, estudos e avaliaes.
Por isso, quando o assunto pioneirismo, no faltam
exemplos Pirelli brasileira, que destina 2,6% de seu
faturamento para pesquisas.
A empresa foi responsvel pela instalao, em
1988, da primeira pista de testes de um fabricante de pneus em toda
a Amrica Latina. Localizado na cidade de Sumar, o
Campo de Provas ocupa uma rea de 45mil m2 e conta com
infra-estrutura que possibilita a realizao de
inmeros tipos de avaliaes, inclusive de
pneus off-road.
CERTIFICAES – A empresa tambm foi a
primeira fabricante de pneus no Brasil a possuir seu sistema de
qualidade certificado pelas normas ISO 9001, em 1993. Na Argentina
e na Venezuela, as Unidades de Merlo e Guacara seguiram pelo mesmo
caminho e obtiveram suas certificaes em 1995 e
1998, respectivamente. Outra conquista histrica vem do
Japo: a Pirelli brasileira o nico
fabricante de pneus do continente americano a receber o Total
Productivity Maintenance, concedido em 1996 pelo instituto
japons JIPM – Japan Institute of Plant Maintenance s
melhores empresas do mundo em eficincia industrial.
Quando o assunto segurana e meio ambiente, a
Pirelli tambm destaque na rea. De 1998 a
2001, todas as fbricas brasileiras passaram por auditorias
rigorosas e conquistaram a certificao ISO 14001,
que atesta a eficincia dos Sistemas de Gesto
Ambiental implementados nas Unidades.
A mesma ateno foi dada aos processos de
certificao OHSAS 18001, relacionados ao Sistema de
Gerenciamento de Segurana e Sade no Trabalho: Santo
Andr, Campinas e Gravata j possuem seus
sistemas certificados; Sumar prepara-se para a auditoria
final em novembro deste ano, assim como Feira de Santana, que
dever ser recomendada em junho de 2004, quando
acontecer a auditoria final.
NO MUNDO – Considerada uma das cinco maiores fabricantes do
segmento em todo o mundo, a Pirelli Pneus emprega hoje 20 mil
funcionrios, em 22 fbricas localizadas em dez
pases e 120 escritrios comerciais que cobrem todos
os continentes.
Inaugurada em 1940, Santo Andr (SP) a sede da
maior fbrica de pneus radiais para caminhes e
nibus do Grupo Pirelli em todo o mundo. Tambm
fabrica pneus para agricultura, terraplanagem, cmaras e
protetores e emprega 1.400 pessoas.
Em Campinas (SP) est instalada a principal fbrica
de pneus radiais para automveis e derivados do Grupo na
Amrica Latina. A Unidade de Sumar (SP), em
funcionamento desde 1984, emprega 206 pessoas. Seu foco est
voltado para a produo de cordas metlicas
utilizadas na produo de pneus radiais.
Em fase de expanso, a Unidade de Gravata (RS)
possui 1400 funcionrios e tornou-se a maior fbrica
de pneus de moto de todo o Grupo. Sua produo teve
incio em 1976 e est voltada, principalmente, para a
fabricao de pneus para motocicletas, ciclomotores,
scooters e bicicletas alm de pneus convencionais para
automveis, camionetas, nibus, caminhes,
veculos industriais e dianteiros para tratores.
Feira de Santana (BA) fecha o ciclo de unidades industriais no
Brasil. Ali so produzidos pneus convencionais para
automveis, nibus, caminhes leves e pesados,
alm de radiais para automveis e utilitrios
esportivos. Anteriormente denominada Cia Pneus Tropical, foi
adquirida pela Pirelli em 1986.
Na Argentina, a Unidade de Merlo (Provncia de Buenos Aires)
produz pneus radiais para automveis e convencionais para
caminhes. Inaugurada em 1955, atualmente possui 518
funcionrios. Na Venezuela, funciona a caula do
Grupo latino-americano. Inaugurada em 1990, a Unidade de Guacara
emprega 455 pessoas e produz pneus convencionais e radiais para
automveis e camionetas.